Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Domingo 22 de Setembro de 2019

1 3
:
0 9
:
4 1

Últimas Noticias

Internauta AN

Notícias / Entrevista

9 Mai 2015 - 09:55 | Atualizado em 9 Mai 2015 - 11:47

Em entrevista tripla, Agência da Notícia tenta entender porque tantas pessoas tem deixado o Norte Araguaia

Porque depois de tentarem a vida no Norte Araguaia, os moradores arrumam as malas e partem para novas conquistas? O que faltou?

Agência da Noticia com Redação

Agência da Notícia

 (Crédito: Agência da Notícia)

Publicidade

Esta edição do quadro "Entrevista da Semana" é especial, isso porque, não conversamos com apenas uma personalidade, mas três. Isso mesmo, nossa matéria tem três personagens, que talvez nem se conheçam pessoalmente, mas tem muito em comum.

Todos tentaram uma vida melhor no Norte Araguaia, desistiram e optaram por outras regiões do estado, ou até mesmo do país.

A pergunta fundamental é por quê? É fato que há muito que se explorar na região, são imensas potencialidades e muitas oportunidades, mas é fundamental, para entendermos e até mesmo aperfeiçoar algumas coisas, saber o porque, de tantas pessoas deixarem o Norte Araguaia depois de um tempo.

Por isso, conversamos com o repórter cinematográfico Itasir Merel, o universitário Max Roger e o dj Clésio Estevam, que do trio, é o único que cresceu em Confresa, mas também fez as malas assim que começou a vida adulta.

Itasir morou por pouco mais de um ano em Porto Alegre do Norte, casado, pai de dois filhos. Trabalhou em uma corretora e chegou a planejar um negócio em sociedade com um fazendeiro da região. As ideias não prosperaram e ele retornou para Cuiabá, onde morou por mais de 15 anos.

Hoje trabalha no grupo Gazeta de Comunicação, um dos maiores do estado. Nossa pergunta para ele foi: “O que deu de errado em Porto Alegre do Norte?”, a resposta:

“Minha preocupação maior são meus dois filhos, e infelizmente não encontrei na cidade a estrutura necessária para o desenvolvimento deles. Tanto na educação, como na saúde. Daqui a pouco eles precisam ir para a faculdade, e como iriam se preparar para esta etapa?”, questionou Itasir, reforçando que a chegada no município foi de muita esperança.

“Sabe o sentimento de um garimpeiro de ouro, quando chegou em Serra Pelada, no auge do ciclo, assim estava meu coração quando mudei para Porto Alegre do Norte, mas infelizmente não encontrei minha pepita”, desabafa Itasir, que antes morava em Sorriso.

Ele não poupa elogios ao povo da cidade. “O povo é maravilhoso, simples e batalhador, sinto saudades”, concluiu.

Max Roger é morador de Sinop, estudante de Direito e representante comercial. No Norte Araguaia ficou conhecido por formar a dupla “Max e Thiago”, depois de morar em Ribeirão Cascalheira e Confresa, também optou, junto da esposa, por deixar a região.

“Percebemos que estávamos no nosso limite, não havia mais como crescer em Confresa. E tanto eu como minha esposa, que é dentista, precisamos nos dedicar mais a nossa formação, eu queria estudar, me aperfeiçoar e não encontrei caminhos em Confresa”, comentou o cantor, que segue com a dupla, agora fazendo show no Nortão do Estado.

Tanto Itasir como Max, ao serem questionados se pensariam em retornar para alguma cidade do Araguaia, respondem que não. “Hoje não penso nisso, as oportunidades que estão tento em Sinop são únicas, e não teria, por exemplo, como estar na universidade, se estivesse em Confresa”, comentou Max, reforçando que tem muito carinho pela região.

“Fui muito feliz lá, sempre que posso passo para rever amigos, tenho uma história com o Norte Araguaia e isso ninguém vai apagar”, concluiu.


Já, Clésio era presença constante nas principais festas da região. O espaço na agenda, cada vez menor, chegou a se apresentar mais de dez vezes em um único mês, quase uma unanimidade quando o assunto era "dj". Mas as apresentações por aqui, pelo menos por enquanto, acabaram.

A alguns meses ele está morando em Cajamar, região metropolitana de São Paulo. Ao Agência da Notícia confidenciou os motivos da mudança de cidade e seus planos futuros. "Vim atrás de novos ares, novos desafios. Vou me aperfeiçoar, fazer alguns cursos, tanto na música como designer gráfico, que é minha outra profissão", contou Clésio, acalmando os fãs da música eletrônica ao afirmar que pretender voltar logo para Confresa, onde mora sua família.

"Não sei por quanto tempo ficarei aqui, mas pretendo retornar para Confresa. Quero me reciclar, aprender e poder oferecer algo novo e melhor para a galera da região", disse Clésio, que começou a planejar a mudança após uma viagem ano passado.

Fato é, que o trio é unanime ao afirmar que faltaram opções para cresceram profissionalmente na região, além de serviços básicos e necessários, como uma educação de qualidade e bons hospitais. O intuito desta reportagem não é uma caça as bruxas, ou desvalorização da região. Pelo contrário, crescemos como poucos lugares do país, e também temos desafios como poucos lugares do Brasil. Mas tão importante como olhar os números econômicos que atraem tantos migrantes, é analisar onde estamos pecando, para que possamos corrigir.


Um ótimo fim de semana

Agência da Notícia.

Inserir comentário

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

  • por Italo, em 14 Mai 2015 às 14:35

    Morei em Porto Alegre do Norte em 2002, hoje moro em SP, com certeza um dia voltarei para esta querida região, saudades de PAN e dos amigos que deixei, pena que perdi contato .

  • por Pedro, em 10 Mai 2015 às 19:02

    me desculpe Bill mas vou descordar de você,nossa região é um paraiso em relação a tantas outras cidades. vai morar em Sao paulo,Rio de janeiro,lá sim tem muitos bandidos.

  • por Júnior, em 9 Mai 2015 às 17:09

    Saúde, Estradas, Educação e o descaso dos político pela região é o que nos leva a procurar outros lugares. Depois de 15 anos na região mês de junho ou julho também subindo a serra em busca de novas oportunidades.

  • por João Pedro, em 9 Mai 2015 às 12:59

    Bandido em todo lugar têm amigo!!!

  • por raymundo, em 9 Mai 2015 às 11:24

    cheguei na região do Araguaia, aos 11 anos de idade, aos 50 anos sempre na esperança de dias melhores, mas foi sempre esperança, as promessas sempre as mesmas, tive que fazer como o trio entrevistado pela agencia da noticia, arrumei as malas e fui procurar educação, saúde e outros meios para uma vida melhor, tanto pra mim, como pra minha família.

  • por bill, em 9 Mai 2015 às 10:48

    O problema é a quantidade de bandidos, isso desanima.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet