Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Domingo 26 de Maio de 2019

0 0
:
5 2
:
1 3

Últimas Noticias

Torpedos

Alternativa

Parabéns ao sindicato rural e prefeitura municipal de vila rica MT 33 anos de aniversario

Camilão iluminado!

Parabenizo a administração municipal que atendeu as diversas solicitações dos munícipes e iluminou...

Camilão às escuras

A situação da praça Camilão é triste. Um dos pouquíssimos espaços públicos para lazer e talvez o...

Enquete

Na sua opinião a reforma da previdência 2019 deve ser aprovada?

Classificados

SANDERO STEPWAY 12/12

Cidade: CONFRESA

Anunciante: RAFAEL GABOARDI BECKER

Valor: A COMBINAR

casa para vender

Cidade: Confresa

Anunciante: ADILSON VITAL

Valor: A combinar

Ford Focus 2007

Cidade: Confresa

Anunciante: Wilsrley

Valor: 9.000,00

Notícias / Artigos e Opinão

14 Jul 2016 - 16:00

Inevitável

Agência da Notícia com Onofre Ribeiro

Publicidade

Publicidade

 Desde que cheguei a Mato Grosso, no distante 25 de agosto de 1976, vindo de Brasília, convivi com a enorme expectativa de futuro que sempre cercou o estado. Como, aliás, cercou o Centro-Oeste do Brasil, partindo de Brasília. Lá, convivi com o sonho de um Brasil brasileiro nascido na região pra superar o litoral copiado da Europa. A divisão do estado em 1977 que separou Mato Grosso do Sul estava dentro desse sonho. Na época era só sonho louco. Vencemos as adversidades e chegamos aonde chegamos.

Relembro sempre: nas minhas viagens de ida e volta de carro a Brasília, antes que minha família se mudasse pra cá, entre Goiânia e Cuiabá, que são 900 km, cruzava com duas carretas, simples caminhões trucks com dois eixos, pra 10 toneladas. Hoje passam 14 mil carretas de 30 a 50 toneladas diariamente entre Cuiabá e Rondonópolis. Em 40 anos, esse salto! Vamos ao futuro. Dados do confiável IMEA – Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária, indicam que a atual produção de grãos de 52 milhões/ton será de 88 milhões em 2025, daqui a 10 anos. Aumento de 88%. Assim como as carnes que também aumentarão 88,5%.

Outras tendências do mundo, que servem pra contextualizar essa produção frente aos mercados mundiais. A população tende a migrar pras cidades cada vez mais, onde terá renda per mais alta e comprarão mais comida. A tendência será a especialização de regiões do mundo na produção de alimentos. É o caso do Centro-Oeste brasileiro e nele, Mato Grosso. Para isso, a tendência é a de investimentos internacionais crescentes em setores como o da infraestrutura de rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias, além de projetos climáticos, economia sustentável de baixo carbono e explorações minerais. Tudo isso num prazo de 10 anos. É muita coisa pra pouco tempo.

Ontem questionei aqui o planejamento governamental pra dar suporte a essa economia nova. Vejo também a necessidade de uma estruturação do governo estadual para esses cenários. O governo não tem técnicos habilitados e tampouco comprometidos nessa direção. É o caso de colocá-los pra estudar. Ou contratar gente mais capaz.

O assunto não se esgota aqui, mas fica a advertência. Chances extraordinárias baterão à nossa porta já amanhã.
Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso
onofreribeiro@onofreribeiro.com.br www.onforeribeiro.com.br

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet