Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 26 de Março de 2019

0 5
:
0 5
:
3 2

Últimas Noticias

Torpedos

BR 158

O Problema de Conclusão da BR 158 é "FIM DO PROPINODUTO", pois mudou o GATO mas não mudaram os RATOS

Br 158 Araguaia ?

fico me perguntando qual é a ideia destes políticos inites que ficam segurando o progresso de nossa...

Br 158 120 km já

venho aqui chamar a atenção de nossos representantes para que seja cobrado o asfaltamento com...

Campanha Publicitária

Classificados

Fazenda

Cidade: Santa Terezinha

Anunciante: Raimundo

Valor: 240.000,00

TERRENO URBANO

Cidade: ALTO ARAGUAIA

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 30.000,00

FAZENDA 100 ALQUEIRES PARA GADO

Cidade: TERRA NOVA DO NORTE MT

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 2.500.000,00

Notícias / Artigos e Opinão

18 Out 2016 - 19:20

Educação x futuro

Agência da Notícia com Onofre Ribeiro

Publicidade

Publicidade

 Vamos olhar a educação sob a perspectiva do futuro, já que o presente nós perdemos. Em 1970 o Japão ainda engatinhava na industrialização. Lembrando que até 1945 era um país quase medieval. Comprar produtos “made in Japan” era comprar produtos muito ruins. Os japoneses copiavam produtos ocidentais e os refaziam. Os carros japoneses dos anos 1970 eram bem ruins. Na mesma década de 1970 a Coréia do Sul era um país muito atrasado e pobre. População pequena, poucos recursos naturais, saída de uma pesada guerra dos anos 1950. Em 1976 a China era um horror! No meio da “Revolução Cultural” do louco modelo político do líder Mao Tse Tung.

O mesmo se pode dizer de alguns países orientais do Oceano Indico, como Indonésia, Filipinas, Malásia, etc. O que transformou o Japão, a Coréia do Sul e a China foi o mesmo e único fator: a educação! O Japão investiu pesadamente no ensino fundamental pra criar as bases de uma sociedade voltada para a produção industrial. Essa fase do ensino lá é fantástica. Os japoneses aprimoraram a educação universitária mas deram ênfase às pós-graduação. Enviavam até 50 mil profissionais por ano pra especializações nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Alemanha, no Canadá e França. A partir daí iniciaram programas de gestao inovadores que deram ao Japão o espaço atual no mundo.

No mesmo tempo a Coréia do Sul repetiu a experiência com o mesmo sucesso. De um país pobre e arrasado, tornou-se uma potência. A China dispensa comentários. Mas seguiu e ainda segue a mesma estrada. Transformou-se na segunda economia mundial. Por detrás, o insumo foi a educação.

O Brasil não percebeu o seu papel diante de si mesmo e do mundo. Não compreendeu a educação.

O projeto de nação não inclui a educação. Até porque não tem um projeto de nação. È como se o futuro não existisse! Pode ser que depois da crise atual o país comece a construir um projeto de futuro. Quando se mexe na Medida Provisória que altera o ensino médio, quem sabe se não se abra uma perspectiva para uma nação. Mexer na cabeça dos gestores públicos brasileiros é, porém, a maior de todas as tarefas. A pior, contudo!

Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso
onofreribeiro@onofreribeiro.com.br
www.onofreribeiro.com.br

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet