Agência da Notícia

14 anos no MT

Agência da Notícia, Quarta-feira 16 de Outubro de 2019

0 9
:
1 0
:
3 0

Últimas Noticias

Enquete

Você é a favor ou contra Lula ir para a prisão domiciliar?

Internauta AN

publicidade

Notícias / Educação

25 Out 2016 - 20:00

Senado debate progressividade tributária como alternativa à PEC 241

Do Agência Brasil

Publicidade

 A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado debateu hoje (25) em audiência pública a progressividade da cobrança de impostos como alternativa à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241 que limita o aumento dos gastos públicos à inflação do ano anterior, por um prazo de 20 anos

A PEC foi aprovada em primeiro turno na Câmara que deve colocar a matéria em votação em segundo turno na tarde desta quarta-feira. Após ser apreciada na Câmara, a PEC será enviada ao Senado para votação também em dois turnos.

Para o pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Fernando Gaiger, todas as medidas fiscais adotadas nos últimos anos no país são regressivas. “Os pobres pagam muito de ICMS e PIS/Cofins em relação aos ricos”, afirmou. “De fato, temos uma estrutura [tributária] muito injusta”.

Para ele, historicamente, o sistema tributário brasileiro pune os mais pobres porque a maior parte da tributação incide sobre o consumo e os salários, em vez de ser cobrada com mais intensidade sobre o patrimônio e a renda do capital.

Gaiger defendeu uma maior incidência dos tributos sobre os mais ricos. “Precisamos melhorar a tributação direta no sentido de pegar aqueles que têm mais capacidade [financeira] para não só diminuir a tributação indireta que recai sobre os mais pobres, mas diminuir os tributos sobre as empresas”.

Segundo o pesquisador do Ipea, é necessário tornar progressivo o imposto sobre herança e imposto sobre a transmissão de bens imóveis inter vivos (entre pessoas vivas), além de tributar lucros e dividendos.

Gaiger destacou que a reforma tributária é uma questão difícil de ser enfrentada já que há grande reação de diferentes setores da sociedade. Com isso, segundo o especialista, os governos preferem mexer no gasto público.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet