Agência da Notícia

14 anos no MT

Agência da Notícia, Terça-feira 10 de Dezembro de 2019

0 7
:
1 6
:
1 6

Últimas Noticias

Campanha Publicitária
publicidade

Notícias / Educação

10 Nov 2016 - 19:40

Educadores do AP debatem sobre reforma no ensino médio e PEC 241

Encontro Estadual de Educações ocorre em Macapá até sexta-feira (11). Programação será encerrada com ato público no Centro da cidade.

Do G1

Foto: Jéssica Alves/G1

 (Crédito: Foto: Jéssica Alves/G1)

Publicidade

As mudanças no ensino médio, anunciadas em setembro pelo governo federal, foram tema de debate entre profissionais durante o 1º Encontro Estadual de Educadores, que ocorre nesta quinta-feira (10), em Macapá. O evento encerra na sexta-feira (11), com um ato público na Praça da Bandeira, no Centro.

O encontro é promovido pelo Sindicato dos Servidores Públicos em Educação do Amapá (Sinsepeap) e de acordo com o presidente, Aroldo Rabelo, a intenção é discutir junto com os profissionais alternativas para mudanças nas medidas, que geraram críticas dos educadores.

"Buscamos falar sobre o atual retrato da educação brasileira e o quanto essas novas medidas do Governo Federal podem impactar o ensino médio no Amapá e nos outros estados. Vamos finalizar o encontro com um ato público, para explanar esse debate junto com a sociedade", destacou.

O encontro reuniu cerca de 600 educadores. Um dos pontos mais criticados foi a redução do currículo. Matemática, português e inglês são obrigatórios, mas educação física e artes, por exemplo, não aparecem como disciplinas essenciais.



O novo currículo do ensino médio também vai ter disciplinas opcionais em cinco áreas de conhecimento: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional. Os alunos vão poder escolher o que querem estudar, de acordo com o que a escola oferecer.

"Infelizmente essa é uma medida que pode prejudicar os estudantes, pois estão em uma fase de grande aprendizagem. Acho importante a ampliação do tempo, mas é importante se pensar o que será feito nesse tempo, e como serão as atividades propostas, os conhecimentos que são oferecidos aos alunos", disse a professora Ana Vilhena, de 32 anos.

Outro ponto destacado no encontro foi a Proposta de Emenda à Constituição, PEC 241, que estabelece limites para o aumento de gastos públicos pelos próximos 20 anos.

"O congelamento nos gastos públicos vai prejudicar a educação brasileira, especialmente no Amapá, que ainda depende da economia do contracheque. Por isso precisamos levar este tema para os profissionais", enfatizou o presidente.


Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet