Agência da Notícia

14 anos no MT

Agência da Notícia, Segunda-feira 14 de Outubro de 2019

0 8
:
1 8
:
0 1

Últimas Noticias

Enquete

Você é a favor ou contra Lula ir para a prisão domiciliar?

Internauta AN

Notícias / Educação

2 Dez 2016 - 13:30

Em 10 anos, cai fluxo de jovens de 18 a 29 anos que frequentam a escola

Do UOL

Publicidade

 Dados da pesquisa SIS 2016 (Síntese de Indicadores Sociais), produzida pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram que o percentual de jovens com idade entre 18 e 29 anos que deixaram de frequentar a escola em dez anos aumentou. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (2) e compreendem números obtidos entre 2005 e 2015.

Segundo o estudo, 31,5% dos jovens de 18 a 24 anos frequentavam regularmente a escola em 2005. Dez anos depois, o percentual caiu para 30,7%. No mesmo período, fluxo de jovens de 25 a 29 anos na escola foi de 12,6% para 11,4%, respectivamente.

Em relação aos mais novos, os dados mostraram o volume de estudantes com idades entre 15 a 17 anos frequentando a escola cresceu pouco --de 81,6% para 85%. Apesar disso, em 2015, 1,6 milhão de jovens dessa faixa etária haviam abandonado a escola.

Os organizadores da pesquisa não justificam os dados, mas apontam algumas tendências que podem ajudar a refletir sobre os números divulgados.

Uma linha de raciocínio destaca o alto índice de repetência no sistema de ensino nacional como um dos fatores para o abandono da escola. O problema impacta diretamente a relação entre a idade do aluno e a série em que ele está matriculado –mais conhecida como distorção idade-série.

"Esse indicador representa a proporção de estudantes de 15 a 17 anos de idade no ensino regular com idade dois anos ou mais acima da esperada para a série/ano que frequentavam, em relação ao total de estudantes dessa faixa etária", explicam os organizadores do relatório.

Com base nisso, é possível apontar que os jovens, principalmente os mais velhos, podem ter deixado de frequentar a escola por não estarem na série tida como adequada para a idade.

Além disso, a evasão escolar também pode ser resultado do impacto da renda familiar do aluno. Em 2015, 69,7% dos jovens de 15 a 17 anos pertencentes ao grupo com menor renda mensal domiciliar per capita abandonaram a escola e não concluíram o ensino fundamental.

Esse percentual foi de 39,4% para o grupo na mesma faixa etária que possuía a maior renda, conforme parâmetros definidos pelo instituto.

Jovens trabalham menos

Outro destaque do SIS 2016 é que os aspectos em relação às condições de trabalho desses jovens melhoraram. Muitos deles passaram a ficar menos tempo no trabalho. Foi o que aconteceu com Fernando Messias Lavrini, 23.

O jovem atualmente trabalha no setor de vendas e de compras da distribuidora de vidros automotivos da família. Nos últimos anos, principalmente de 2015 para cá, viu o tempo que passava se dedicando ao trabalho diminuir consideravelmente.

"Apesar da crise, a empresa está melhor estruturada agora. Depois de muito trabalho, onde eu passava mais de 12 horas por dia ajudando meu pai, posso me dedicar a outras coisas e tenho mais tempo. Agora não costumo ficar mais do que nove, dez horas na distribuidora", explica.

"Há cerca de nove anos estávamos praticamente falidos, mas conseguimos reorganizar a empresa e agora posso respirar", acrescenta Lavrini, que chegou a largar a faculdade três vezes por conta do excesso de trabalho e da falta de tempo para se dedicar aos estudos. Hoje, a relação tempo de trabalho X renda se tornou mais vantajosa para ele com a melhora nos negócios.

Os dados do IBGE indicam que 37,2% dos jovens de 15 a 29 anos trabalhavam em média 45 horas ou mais em 2005. Dez anos depois, esse percentual caiu para 20,1%. Na mesma perspectiva, os jovens que passaram a trabalhar dentro da jornada de 40 a 44 horas semanais aumentou significativamente, indo de 37,2% para 50,9%.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet