Agência da Notícia

Portal Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 26 de Setembro de 2017

1 8
:
5 5
:
5 5

Últimas Noticias

Torpedos

DIVIDA AUMENTANDO

ATENÇÃO POVO DE SÃO FÉLIX: A PREFEITA JANAILZA NÃO TEM PAGO A PREVIDÊNCIA, A EMPRESA DA COLETA DE...

Agua

JBS Apresenta documento de terceiros e montar uma capitação de água em Porto Alegre, a população se...

Coleta de lixo em Confresa

É uma vergonha o que acontece com a coleta de lixo na cidade de Confresa. O lixo chega a ficar...

Classificados

Casa alugar

Cidade: Confresa

Anunciante: Valdirene

Valor: Um salario mínimo

Casa

Cidade: campo grande

Anunciante: Leticia

Valor: a combinar

chacara

Cidade: confresa

Anunciante: Heloisa

Valor: a combinar

Newsletter

Notícias / Política

21 Abr 2017 - 08:21

Taques empossa auditores e diz: Governo foi alvo de “chacota”

Chefe do Executivo estadual diz que auditorias economizaram R$ 800 milhões em 800 dias

Agência da Notícia com Mídia news

 Com um discurso crítico à corrupção e de valorização à Controladoria-Geral do Estado (CGE), o governador Pedro Taques (PSDB) deu posse a 25 novos auditores do Estado na tarde desta quinta-feira (20).

Durante o ato, realizado no Palácio Paiaguás, Taques afirmou que seu Governo foi alvo de “chacota”, em razão da série de auditorias determinadas por ele no início da gestão.

“Quero dizer aos novos auditores, que desde o primeiro dia em que assumi o Governo, buscamos valorizar a Controladoria. Quero dizer que nosso Governo não tem receio de auditoria, de controle. Aliás, precisamos de controle. Precisamos de auditoria”, disse.

Economizamos, em 800 dias, R$ 800 milhões. E muitas partes desses R$ 800 milhões graças ao trabalho da Controladoria
“Não sei se os senhores se recordam, mas no início da nossa administração, quase que os dois primeiros anos de nossa administração, algumas pessoas nos menoscabavam, faziam chacota. Diziam que este é o Governo da controladoria, da auditoria. Que este é o Governo daqueles que só fazem auditoria e nada fazem”, afirmou.

Alheio às críticas, o governador disse que agiu de tal forma – e continuará agindo – por entender que “coisa pública não é coisa de ninguém, é coisa que pertence a todos nós. E a controladoria tem um papel importante para que possamos manter o que pertence a todos nós”.

Durante o seu discurso, Taques afirmou que, por meio dos trabalhos realizados pela CGE, o Executivo conseguiu economizar R$ 800 milhões em pouco mais de dois anos.

“No primeiro decreto que assinei [no início da gestão], eu falei da Controladoria. O controlador Ciro Rodolpho chegou e disse que precisaríamos de novos controladores. Porque os senhores não arrecadam impostos, mas dão lucro para o cidadão”, afirmou.

“Nós economizamos, em 800 dias, R$ 800 milhões. E muitas partes desses R$ 800 milhões graças ao trabalho da Controladoria”.

Dívida com a população

Na cerimônia o governador também afirmou que os servidores, principalmente aqueles que atuam com controle externo e interno estão em dívida com a sociedade.

“A ideia é o republicanismo, é o dever cívico de ser honesto, a ideia é deixar o cambalacho de lado, a ideia é fazer a coisa certa, e o tempo é agora. Concordo com o conselheiro do TCE, Luís Henrique [Lima], que nós todos servidores públicos e, notadamente o controle interno e externo, estamos devendo à sociedade. E devendo muito. Precisamos nos atentar a isso. Que a sociedade já se atentou a isso”, afirmou.

Auditor não pode ser exu tranca rua, que aparece no 42º do 2º tempo. Auditor tem que fazer o controle preventivo porque senão ele impede a concretização de políticas públicas
“A sociedade está a se perguntar onde estávamos que não vimos? Onde estávamos que não ouvimos? Onde estávamos que não sentimos o cheiro podre daqueles que querem roubar o patrimônio que pertence a todos nós? Onde estávamos quando não sentimos o cheiro dos bucaneiros da coisa pública? Dos piratas da coisa que pertence ao povo? A estas perguntas devemos responder”, disse.

Na sequência, Taques disse ainda que os auditores são importantes para que o Estado consiga concretizar as políticas públicas a sociedade.

“O auditor não pode ser promotor. Com o perdão às religiões afrodescendentes: auditor não pode ser exu tranca-rua, que aparece no 45º minutos do segundo do segundo tempo. Auditor tem que fazer o controle preventivo porque senão ele impede a concretização de políticas públicas. Não adianta falar que avisou, tem que avisar antes”, disse.

“Em cada processo e procedimento existem vidas que estão por trás deles, pessoas esperançosas na concretização de políticas. Existem aqueles que choram por falta de hospitais, sofrem por falta de segurança. E vocês terão participação para o atingimento do bem comum”, concluiu o governador.

Inserir comentário

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

  • por Luis Gonzaga Domingues, em 21 Abr 2017 às 08:48

    eixeira e Requião querem cadeia para os Marinho! Segundo o José Wilker, a Globo poderia ser a TV Hitler Compartilhar Email Imprimir publicado 20/04/2017 novo.jpg Marinho e Odebrecht: tudo em cana! O Conversa Afiada reproduz nota do advogado Roberto Teixeira: Repudio as ilações feitas sobre minha atuação como advogado na defesa dos direitos e interesses do Sr. Fernando Bittar em relação a um sítio na cidade de Atibaia (SP) e destaco, em especial, a reportagem publicada por O Globo sob o título “Advogado de Lula fez contrato falso para ocultar sítio, diz delator”. Essa afirmação não corresponde sequer às versões unilaterais e sem valor probatório dos delatores Alexandrino Alencar e Emyr Costa. Não há nos depoimentos por eles prestados qualquer declaração de que eu tenha feito um contrato falso. Minha atuação como advogado de Fernando Bittar seguiu exatamente os mesmos padrões éticos e legais que observo há 47 anos no exercício ininterrupto da profissão. Ao mesmo tempo em que mente para os seus leitores sobre a minha pessoa, O Globo esconde a afirmação do delator Emílio Odebrecht de que o grupo empresarial — do qual o jornal faz parte — teve uma sociedade privada com o Grupo Odebrecht para facilitar decisões de governo no período do ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet