Agência da Notícia

Portal Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 17 de Dezembro de 2017

0 4
:
1 1
:
2 7

Últimas Noticias

Torpedos

Vandalismo

Algum idiota, debilóide, inútil que não tem mais o que fazer resolveu fazer gracinha na última...

Lixo na cidade

A Prefeitura tá de sacanagem com a população da Vila 2000 né, primeiro desde a última segunda feira...

Estrada do guardanapo

Está uma vergonha a estrada entre Espigão do Leste e Canabrava do norte, todo ano a mesma coisa e...

Classificados

Lote

Cidade: Confresa

Anunciante: Jaqueline

Valor: 25.000,00

chacara

Cidade: confresa

Anunciante: Heloisa

Valor: 17.500,00

Terreno

Cidade: Confresa

Anunciante: Aguinaldo

Valor: 55 mil

Newsletter

Notícias / Política

19 Jun 2017 - 07:48

Secretário diz que teto de gastos visa evitar “falência” do Estado

Júlio Modesto diz que Executivo ainda trabalha para concluir o projeto

Agência da Notícia com Mídia News

 

O secretário de Estado de Gestão, Júlio Modesto, afirmou que o projeto que prevê um limite para os gastos públicos em Mato Grosso – e que vem sendo elaborado pelo Executivo desde o ano passado – visa evitar a falência do Estado.

 

Segundo ele, o texto prevê um equilíbrio para as finanças públicas pelos próximos anos.

 

“Por ordem do governador, isso está sendo trabalhado há bastante tempo. Essa é uma necessidade do Estado, porque o projeto não olha apenas a despesa de pessoal, mas as despesas primárias do Estado”, disse o secretário.

 

Quando você não tem esse limite de crescimento – por isso se fala teto de gastos – as despesas podem crescer mais que a capacidade de pagamento dos Estados. Eles estram default, em risco de insolvência

“O projeto estabelece o índice de reajuste sobre aquilo que nós realizamos no exercício de 2016, aplicando aí o índice do INPC em cima das despesas realizadas no exercício anterior para os próximos anos. Ou seja, estabelece uma margem de crescimento das despesas primárias, visando o equilíbrio das contas públicas”, explicou.

 

O secretário lembrou que a mesma medida vem sendo implementada por outros estados como forma de driblar a crise econômica no país.

 

“Trata-se de olhar não só a despesa de pessoal, mas olhar para despesa total do Estado, para aquilo que se realizou, projetar um crescimento e controlar o crescimento da despesa, tendo como base a inflação do exercício”, disse.

 

“Porque quando você não tem esse limite de crescimento – por isso se fala teto de gastos – as despesas podem crescer mais que a capacidade de pagamento dos Estados. Eles entram em default, em risco de insolvência, não só na folha, mas também em despesas operacionais”.

 

O secretário, contudo, não deu detalhes de quando o projeto deverá ser concluído e encaminhado para apreciação da Assembleia Legislativa (AL).

 

Nos bastidores, as informações dão conta de que o texto deve ser remetido aos parlamentares ainda no primeiro semestre deste ano, assim que o Governo concluir a votação do projeto da Revisão Geral Anual (RGA) dos servidores públicos.

 

Até o momento, o Governo não divulgou como será a proposta. A expectativa é de congelamento dos duodécimos (repasses constitucionais) dos Poderes e os aumentos salariais pelos próximos dois anos.


Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet