Agência da Notícia

Á 13 Anos Levando Informação !

Agência da Notícia, Sexta-feira 16 de Novembro de 2018

0 2
:
0 0
:
5 1

Últimas Noticias

Torpedos

lucas do Pan

Ola gente vamos ver se o novo governo do MT vai construir o nosso hospital aqui no pan. OU É SÓ...

ONDA DE FURTOS

Pessoal já está mais que na hora de pegar esses meliantes que andam roubando em nossa cidade, já...

Reposta ao Cidadão Portoalegrese

Não sei quem é vc. quanto ao fato narrado, é fato e nem todos sabem, por isso expus, mais muitos...

Enquete

Na sua opinião quais são as prioridades do novo governador de MT ?

Classificados

Casa

Cidade: Confresa

Anunciante: Valdirene

Valor: 800,00

CASA

Cidade: Confresa

Anunciante: ADILSON VITAL

Valor: A COMBINAR

Dia 08/ 12 /2018 acontecerá o 5°leilão Direito de Viver, do hospital do Amor de Barretos!!

Cidade: NOVO SANTO ANTÓNIO-MT.

Anunciante: SANDRA MARACAIPE

Valor: a combinar

Newsletter

Notícias / Geral

13 Fev 2018 - 10:06

Chuva atrapalha colheita da soja em Mato Grosso

Após a estiagem que atrasou o início do plantio da soja na safra 2017/2018, na fase atual (de colheita) as chuvas recorrentes diminuem o ritmo de trabalho

Agência da Notícia com A Gazeta

Publicidade

Dos 9,424 milhões de hectares cultivados com soja no Estado, 12,35% estavam colhidos na última semana de janeiro, ante 16,25% no mesmo período de 2017. Das 7 microrregiões monitoradas pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a região norte concentra o maior atraso, com apenas 4,81% da área plantada (306,566 mil/ha) colhidos.

Durante igual mês de 2017, a colheita da soja na região alcançava 15,75% da área. Entre a última safra e a atual, o atraso chega a 10,93 pontos percentuais. A maior área de sojicultura está no Médio-Norte mato-grossense, onde estão os municípios de Sorriso e Sinop. Na região, a colheita atinge 17,65% dos 3,216 milhões (ha) ocupados com soja, percentual um pouco abaixo dos 21,68% colhidos no encerramento de janeiro de 2017.

Com 2,250 mil (ha) cultivados com a oleaginosa no município de Sorriso (a 420 km ao Norte de Cuiabá), o produtor Laércio Lenz interrompeu a colheita durante os últimos 5 dias por causa das chuvas. “Ainda é cedo para quantificar perdas. Aqui não temos ainda muita notícia de soja ardida, mas depois que (o grão) seca sempre acaba perdendo um pouco a qualidade. Hoje o sol apareceu”.

No outro extremo de Mato Grosso, a colheita segue normal, após interrupções motivadas pelas chuvas. De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Rondonópolis (a 212 km ao Sul de Cuiabá), Aylan Gonçalo de Arruda, a safra atual foi afetada no início pela falta de chuvas e na etapa da colheita pelo excesso de umidade.

A desaceleração no ritmo de produção da soja interfere no andamento da 2ª safra, avalia Arruda. “Alguns produtores já estão reduzindo bastante a área da safrinha, por causa da janela de plantio mais curta”, comenta. No Centro-Sul mato-grossense estão colhidos 11,52% dos 696,979 mil hectares plantados, segundo dados do Imea. Durante igual período do ano passado, o percentual colhido chegava a 15,09%.

No município de Campo Novo do Parecis (a 396 km a Noroeste de Cuiabá), as inundações de algumas propriedades verificadas na última safra não se repetiram na atual, segundo a presidente do Sindicato Rural, Giovanna Velke. “Choveu bastante no último fim de semana, mas as chuvas são espalhadas e a colheita está dentro da normalidade”.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet