Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quinta-feira 20 de Setembro de 2018

0 3
:
3 8
:
0 0

Últimas Noticias

Torpedos

Resposta ao Sr Lásaro

Discordo totalmente do que escreveu Sr Lásaro. A Polícia Militar, Conselho Tutelar e TJMT são...

Abandono TJMT/ e CONSELHO TUTELAR, E OUTROS

Vejo não só adolescentes, mais também as crianças abandonadas em PAN e CONFRESA-MT, até mesmo do...

Tráfico de drogas

Em atenção aos comentário feito pelo "Majestoso", viemos por meio deste informar que o NPM Luciara...

Classificados

Sítio

Cidade: Novo São Joaquim

Anunciante: Fernando nunes parreira

Valor: 165.000

CrossFox

Cidade: Vila Rica

Anunciante: Ferreira

Valor: 30.000

Deposito - Centro - 100²

Cidade: Confresa

Anunciante: LEONARDO

Valor: A Combinar

Newsletter

Notícias / Política

13 Jun 2018 - 09:13

Savi sofre 3ª derrota e permanece preso

Rdnews:

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
ais uma vez, o deputado estadual Mauro Savi (DEM) sofre derrota na Justiça ao pedir soltura. Em decisão proferida nesta manhã (12), a ministra Maria Thereza de Assis, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), não concedeu o pedido feito por meio de um habeas corpus protocolado ontem (11). Savi foi preso em 9 de maio, na deflagração da Operação Bônus. Posteriormente foi denunciado pelo Ministério Público Estadual como um dos líderes do esquema que supostamente movimentou R$ 30 milhões em propinas no âmbito do Detran de Mato Grosso.

Tarso Nunes

Mauro Savi 
Deputado Mauro Savi deixa a sede do Gaeco ao ser preso pela Bônus

Nesse recurso, o advogado Paulo Fabrinny classifica a prisão do parlamentar como ilegal e absurda. Pedia que fosse determinada a imediata soltura do deputado, em razão da aprovação da Resolução nº 5.466/2018/ALMT, na última terça (5), pelo Conselho de Ética Parlamentar da Assembleia.

Acontece que a resolução não tinha poder de alvará de soltura e, portanto, precisava ser analisada pelo desembargador José Zuquim, do Tribunal de Justiça, que é o relator da investigação e foi quem determinou a prisão de Savi. Zuquim negou a expedição do alvará e a defesa anunciou que recorreria.

O desembargador já havia alertado, ao decretar a prisão, que a Assembleia não tinha poder de tirá-lo da cadeia. Savi pediu então ao desembargador Juvenal Pereira que suspendesse essa proibição, mas a resposta também foi negativa.

Esse é o segundo habeas corpus de Savi negado pela ministra do STJ. O primeiro pedia a anulação do inquérito da Operação Bereré, primeira fase da Bônus, e consequentemente a revogação de sua prisão. O pleito foi negado em 24 de maio. Todos os recursos no STJ relativos a esse caso são direcionados à ministra Maria Thereza.

Savi tem, por hora, mais duas chances de conseguir a liberdade. Uma é a conclusão do julgamento de um habeas corpus pelo Pleno do Tribunal de Justiça, cujo placar está com 16 dos 30 desembargadores pela manutenção da prisão. O desfecho foi adiado em razão de um pedido de vista e o resultado é incerto, pois os magistrados podem mudar seus votos. A próxima sessão do Pleno está marcada para esta quinta (14).

Além disso, no início da noite dessa segunda (11) a Assembleia protocolou um HC no STJ, também com objetivo final de colocar o parlamentar em liberdade. A ministra ainda não apreciou a demanda.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet