Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sábado 20 de Outubro de 2018

2 2
:
3 4
:
3 4

Últimas Noticias

Torpedos

lucas do Pan

Ola gente vamos ver se o novo governo do MT vai construir o nosso hospital aqui no pan. OU É SÓ...

ONDA DE FURTOS

Pessoal já está mais que na hora de pegar esses meliantes que andam roubando em nossa cidade, já...

Reposta ao Cidadão Portoalegrese

Não sei quem é vc. quanto ao fato narrado, é fato e nem todos sabem, por isso expus, mais muitos...

Classificados

Stradinha

Cidade: Confresa

Anunciante: Ronaldo

Valor: 19.000, 00

S10 LS 2.4 cd c/ prestações

Cidade: Peixoto de Azevedo

Anunciante: Eduardo

Valor: 3500,00

Lote urbano

Cidade: Confresa - MT

Anunciante: Florinda Abadia de Souza

Valor: A combinar

Newsletter

Notícias / Geral

9 Ago 2018 - 10:28

Projeto prevê campanhas sobre direito de grávidas ao atendimento odontológico gratuito

A proposta é de autoria do deputado Adalto de Freitas

Redação

Publicidade

Alterar as normas da Política Estadual de Saúde Bucal, com campanhas que divulguem a existência de atendimento odontológico gratuito para gestantes no período pré-natal. Este é o conteúdo do projeto de lei de autoria do deputado Adalto de Freitas (Patriota), que altera a Lei nº 10.116/2014.

As alterações propostas pelo deputado à lei vigente tem o objetivo de divulgar e massificar a informação sobre a assistência necessária  e eficaz para a saúde bucal das grávidas, evitando fatores que podem ocasionar mortalidade infantil ou nascimento prematuro. De acordo com o projeto, além do direito as informações, será feito um trabalho de prevenção sobre hábitos alimentares e higiene bucal. A proposta prevê, também, exames de identificação de risco à saúde bucal, bem como diagnóstico de lesões de cárie e necessidade de tratamento curativo; diagnóstico de gengivite ou doença periodontal crônica.

“A finalidade é que todas as gestantes tomem conhecimento do atendimento odontológico disponível. Sabemos que saúde bucal está intrinsecamente ligada à saúde de bebês prematuros. Há tempos está sendo feito um estudo e evidências científicas mostram que as infecções bucais da gestante ocasionam partos prematuros e nascimento de bebês com baixo peso e esse atendimento precisa ser feito”, afirma Adalto de Freitas.

O presidente do Conselho Regional de Odontologia (CRO), Luiz Evaristo Volpato, declarou em entrevista à imprensa que a saúde bucal não está separada de todo o resto do corpo. Ao contrário, ela faz parte do todo. Assim, por meio da corrente sanguínea, bactérias e mediadores inflamatórios presentes na infecção bucal podem chegar ao útero materno provocando reações indesejáveis.

O especialista reiterou que a relação entre mortalidade e saúde bucal é bem conhecida pela comunidade odontológica. Ele destaca que no Brasil existem políticas públicas inseridas no Programa Saúde da Família e até mesmo no cartão de pré-natal disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), entretanto, pode ocorrer por falha do sistema ou por desconhecimento da população a existência deste atendimento.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet