Agência da Notícia

14 anos no MT

Agência da Notícia, Segunda-feira 14 de Outubro de 2019

0 7
:
2 4
:
2 1

Últimas Noticias

Enquete

Você é a favor ou contra Lula ir para a prisão domiciliar?

Campanha Publicitária

Internauta AN

Notícias / Esporte

3 Abr 2014 - 09:18

Jornalista critica Cuiabá e diz que escolha foi "política"

Paulo Vinícius Coelho, do ESPN, diz que andar na cidade é "um pânico" e questiona evento na capital

Mídia News

Publicidade

O jornalista Paulo Vinícius Coelho, comentarista do canal esportivo ESPN Brasil, questionou nesta quarta-feira (2) a participação de Cuiabá como uma das 12 sedes da Copa do Mundo Fifa 2014.

"Sede mais política do Mundial, Cuiabá é um canteiro de obras. Vai ter Copa no Mato Grosso?", disse o comentarista, conhecido entre seus colegas dos canais pagos como "PVC", em sua coluna diária no site do ESPN.

O jornalista observou que sair do Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, e andar por Cuiabá é "um susto".

"Pânico! Vai ter Copa?", afirmou ele, que se revelou cético quanto à conclusão das obras de reforma e ampliação do terminal aéreo.

Paulo Vinícius Coelho sugeriu, na sua coluna, que a escolha de Cuiabá como uma das sedes do Mundial teve caráter eminentemente político.

"Cuiabá foi a sede escolhida mais à base de política de todas as doze", disse ele, observando que, em 2009, o então governador Blairo Maggi (PR) deu entrevista à sua coluna e teria admitido que a capital de Mato Grosso estava "muito bem situada politicamente."

"Há obras por todos os cantos, mas não é o estádio que assusta", afirmou.

Confira o texto do jornalista:

Sede mais política do Mundial, Cuiabá é um canteiro de obras. Vai ter Copa no Mato Grosso?

Na esteira do aeroporto de Cuiabá, um funcionário se aproxima da equipe da ESPN. "Vocês vieram fazer o jogo? Ih, vocês vão ver como está. Tudo um caos, tudo em obras!"

Mais dez metros, na fila para o táxi (estava difícil), um advogado se aproxima com visão mais otimista. Diz que a obra do novo terminal do aeroporto vai ficar pronto. Difícil de acreditar.

Sair do aeroporto e andar por Cuiabá é um susto! Pânico! Vai ter Copa? Cuiabá foi a sede escolhida mais à base de política de todas as doze. Em 2009, o então governador Blairo Maggi deu entrevista a este blog e admitiu que Cuiabá estava "muito bem situada politicamente."
"Sair do aeroporto e andar por Cuiabá é um susto! Pânico! Vai ter Copa? Cuiabá foi a sede escolhida mais à base de política de todas as doze"
Os inspetores da Fifa, em 2009, passaram uma manhã em Goiânia, duas horas no período do almoço em Campo Grande, chegaram a Cuiabá ás 16h, foram levados a uma fazenda na região do Pantanal e viraram a noite por lá. Festa.

E então Cuiabá ganhou até com promessa do então governador que chegou perto de se cumprir. Maggi falava que o Mato Grosso teria um time na Série B. O Luverdense está na Segunda Divisão nacional.

É pouco! Na Secretaria Especial da Copa, a informação é de que o novo terminal do aeroporto estará pronto e que haverá decoração nos tapumes das horas do Veículo Leve sobre Trilhos, que não estará pronto.

Maquiagem!

A única cidade de Copa que lembra Cuiabá hoje é Rustenburgo, onde jogaram Estados Unidos e Gana pelas oitavas-de-final da África do Sul.

Era ruim! Se o Mato Grosso é o maior produtor brasileiro de grãos, propaganda na capital, não poderia ser assim. Sem contar o processo de revitalização do futebol local que até existe com o Luverdense, mas é tímido.

O estádio vai ficar bonito. Assim, no futuro. As fotos do dia da inauguração evidenciam isso. Havia operários pendurados na parte externa do estádio finalizando a obra. As cadeiras azuis (acima) indicam como ficará o estádio. As cadeiras não colocadas (abaixo) e que teoricamente serão concluídas antes do jogo contra o Santos mostram o improviso.

Há obras por todos os cantos, mas não é o estádio que assusta.

A dúvida é se o Mato Grosso vai conseguir terminar a cidade.

 
Sitevip Internet