Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quarta-feira 22 de Maio de 2019

2 0
:
2 6
:
4 8

Últimas Noticias

Torpedos

Alternativa

Parabéns ao sindicato rural e prefeitura municipal de vila rica MT 33 anos de aniversario

Camilão iluminado!

Parabenizo a administração municipal que atendeu as diversas solicitações dos munícipes e iluminou...

Camilão às escuras

A situação da praça Camilão é triste. Um dos pouquíssimos espaços públicos para lazer e talvez o...

Enquete

Na sua opinião a reforma da previdência 2019 deve ser aprovada?

Campanha Publicitária

Classificados

SANDERO STEPWAY 12/12

Cidade: CONFRESA

Anunciante: RAFAEL GABOARDI BECKER

Valor: A COMBINAR

casa para vender

Cidade: Confresa

Anunciante: ADILSON VITAL

Valor: A combinar

Ford Focus 2007

Cidade: Confresa

Anunciante: Wilsrley

Valor: 9.000,00

publicidade

Notícias / Eleições 2018

10 Out 2018 - 11:05

Eleito quer redução de verba de R$ 65 mil e prestação de contas

"Primeira proposta é a redução de todas as verbas. Não dá mais para aceitar essa farra com o dinheiro"

Midianews

Publicidade

Publicidade

Coordenador do Movimento Brasil Livre (MBL) em Mato Grosso, o deputado estadual eleito Ulysses Moraes (DC) afirmou que assim que assumir, em fevereiro de 2019, irá propor projetos como a redução da verba parlamentar e maior prestação de contas.

 

Atualmente, cada deputado tem direito a R$ 65 mil de verba para cobrir despesas do exercício da função. Além disso, recebem um salário de R$ 25,3 mil.

 

“A primeira proposta é a redução de todas as verbas parlamentares. Quando chegar lá, vou ver como a gente faz. Não dá mais para aceitar essa farra com o dinheiro público que o pessoal vem fazendo”, disse.

 

“Outra coisa que temos que obrigar de imediato é prestação de contas. Chega de deputado não prestar contas. Chega. Isso tem que acabar. E vai ser o meu primeiro projeto lá dentro. Isso tem que acabar”, afirmou.

 

A primeira proposta é a redução de todas as verbas. Não dá mais para aceitar essa farra com o dinheiro público que o pessoal vem fazendo
Em agosto deste ano, os parlamentares foram alvo da Operação Déjà Vu. Segundo o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), “notas frias” eram utilizadas para simular a compra de materiais de papelaria e informática e assim justificar os gastos dos parlamentares com a verba indenizatória.

 

O MPE aponta para um desvio de mais de meio milhão de reais. 

 

“O que faremos agora é um trabalho de austeridade e mostrar, efetivamente, que a gente veio para mudar. Não é um discurso de renovação por renovação. É chegar lá e cortar verba, cortar na carne, mostrando para o povo, efetivamente, que tem que ter dinheiro para outras coisas”, disse.

 

“Chega de deputado ficar ganhando aquele monte. Temos que chegar lá e mostrar que é possível fazer muito mais com menos. Foi isso que preguei durante toda a minha campanha e é o que vou fazer lá. Mostrar que é possível ser honesto lá dentro. Fazer uma política de exemplo. É isso que precisamos mostrar”, afirmou.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet