Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 19 de Abril de 2019

Publicidade
0 4
:
0 1
:
1 9

Últimas Noticias

Torpedos

Baiano

O que Dr Eugênio em três meses de mandato já fez o que o baiano filho em 4 ano fez

praça do camilão

VENHO PEDIR AOS ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA PRAÇA DO CAMILÃO. O DESCASO QUE ELA SE ENCONTRA. O ÚNICO...

DESCASO PUBLICO

Caros amigos eleitores do baixo e norte Araguaia, enquanto não houver um conjunto de prefeitos para...

Enquete

Na sua opinião, quais são as prioridades para o Município de Confresa MT .

Campanha Publicitária

Classificados

Vendo ágio do lote com casa apenas levantada as paredes para assumir parcelas de 340.

Cidade: Confresa

Anunciante: Jaime Borges

Valor: 15.000.00

Rodistar agressiva 6800wats

Cidade: confresa MT

Anunciante: Marcos dione de souza

Valor: 500,00

Procura-se casa para alugar

Cidade: Confresa

Anunciante: Morgana

Valor: 600,00

Notícias / Curiosidade:

8 Nov 2018 - 15:32

Entenda como é o ''quinto'' elemento criado por cientistas

Fatos Desconhecidos

Publicidade

Publicidade

Cientistas se reuniram para produzir, pela primeira vez, um condensado de Bose-Einstein (CBE) no espaço. Na experiência, os pesquisadores colocaram um pequeno objeto no interior de um foguete e alguns testes foram realizados durante a sua descida em queda livre. O estudo foi publicado na revista Nature.

O condensado de Bose-Einstein é um estado que acontece após os átomos de gás, com baixíssima densidade, serem resfriados a quase zero absoluto, se agrupando e formando um estado quântico extremamente denso. O CBE poderia ser como base para sensores altamente sensíveis.

Esses sensores poderiam ajudar a compreender fenômenos como as ondas gravitacionais. No entanto, produzi-los não é algo muito simples. Uma vez que a gravidade interfere nos dispositivos que são necessários para estudá-los e fabricá-los.

Atualmente, esses dispositivos são colocados em uma especie de "torre" onde são derrubados para que assim o trabalho seja realizado em um ambiente de gravidade zero. Neste método, porém, os experimentos possuem apenas frações de segundos para operar. Portanto, realizar essas experiências no espaço seria uma opção mais viável devido ao ambiente de microgravidade natural.

No ano passado, os EUA, pensando no potencial de uma plataforma espacial onde pudessem realizar pesquisas com CBE, lançaram o laboratório "Cold Atom". Porém, ele ainda não está operando com 100% de sua capacidade. Por isso, os pesquisadores desenvolveram um minusculo aparelho capaz de produzir um CBE e colocaram em um foguete.

O aparelho consistia em um chip que continha um grupo de átomos de rubídio-87, eletrônicos, lasers e uma fonte de energia para sua alimentação. O chip foi ativado quando o foguete atingiu 243 km de altitude. O que resultou na produção de um CBE em apenas 1,6 segundos.

Uma vez produzido, foram realizados 110 experimentos pré-programados em seis  minutos que o foguete levou para voltar a Terra. O CBE produzido pela equipe foi o primeiro a ser produzido no espaço e marca o começo de uma nova era de pesquisas sobre eles.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet