Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 18 de Dezembro de 2018

1 9
:
0 2
:
5 6

Últimas Noticias

Torpedos

Cidadão revoltado

Já passou da hora da prefeitura de Confresa se pronunciar quanto à ÁGUAS DE CONFRESA pelo...

lucas do Pan

Ola gente vamos ver se o novo governo do MT vai construir o nosso hospital aqui no pan. OU É SÓ...

ONDA DE FURTOS

Pessoal já está mais que na hora de pegar esses meliantes que andam roubando em nossa cidade, já...

Enquete

Na sua opinião, o novo presidente eleito Jair Bolsonaro deve manter o novo ou o antigo traçado da BR-158?

Campanha Publicitária

Classificados

Motoserra

Cidade: confresa

Anunciante: Maysla santos

Valor: 3.200

CASA

Cidade: Confresa

Anunciante: ADILSON VITAL

Valor: A COMBINAR

casa - setor Santa Luzia

Cidade: Confresa

Anunciante: Ana Paula

Valor: a combinar

Notícias / Geral

5 Dez 2018 - 11:15

Atoleiros desafiam motoristas na MT-322 no trecho que liga São José do Xingu a Matupá

~Em 2015, equipes do Estado enfrentaram os mesmos desafios das pessoas que precisam pegar a estrada.

Leandro Kervalt | Redação

Agência da Notícia/Reprodução

Em 2015 uma Expedição realizada pelo governo de Mato Grosso fez o percurso (Crédito: Agência da Notícia/Reprodução)

Em 2015 uma Expedição realizada pelo governo de Mato Grosso fez o percurso

Publicidade

Mais um ano se passa e os mesmos problemas assombram os motoristas que precisam trafegar pela antiga rodovia federal BR-080, hoje MT-322 que liga a região Xingu ao Norte do estado de Mato Grosso. São 280 km de estrada de chão entre os municípios de São José do Xingu e Matupá.

Conforme informações repassadas ao Site Agência da Notícia, o trecho que corta o Parque Nacional do Xingu está bastante castigado pelas chuvas, atoleiros e muita lama tornam a viagem um verdadeiro desafio de paciência e desgaste dos veículos.

Motoristas de veículos de passeio relataram que estão gastando até 8 horas de viagem no trecho, já carretas e caminhões gastam até dois dias para concluírem o percurso.

Alguns trechos levam os condutores praticarem manobras perigosas, na tentativa de desviar de atoleiros e evitarem ficarem presos no barro. O ônibus da Viação Xavante gasta em média 10 horas para concluir o trajeto, isso caso não ocorra imprevistos.

Em 2015 uma Expedição realizada pelo governo de Mato Grosso fez o percurso de Matupá a Santa Cruz do Xingu, mas nada mudou no trajeto que continua um “pesadelo” aos motoristas.

Inserir comentário

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

  • por Antônio Barros, em 5 Dez 2018 às 12:02

    todo ano o mesmo problema e nada é feito, vergonha dessa governo corrupto.

  • por weliton, em 5 Dez 2018 às 11:59

    Isso e uma Vergonha Nacional.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet