Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quarta-feira 20 de Março de 2019

Publicidade
0 0
:
2 0
:
5 5

Últimas Noticias

Torpedos

Br 158 120 km já

venho aqui chamar a atenção de nossos representantes para que seja cobrado o asfaltamento com...

Colaborador

Quero deixar aqui meu comentário não é só a dona Gé que está trabalhando para os órgãos públicos...

Agenora na Educação

Eu vi a Agenora na Prefeitura ontem, lá na Educação. Mas a justiça não proibiu??? Pelo jeito ela...

Enquete

Qual é sua avaliação referente ao Governo de MT, Mauro Mendes ?

Classificados

Fazenda

Cidade: Santa Terezinha

Anunciante: Raimundo

Valor: 240.000,00

TERRENO URBANO

Cidade: ALTO ARAGUAIA

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 30.000,00

FAZENDA 100 ALQUEIRES PARA GADO

Cidade: TERRA NOVA DO NORTE MT

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 2.500.000,00

publicidade

Notícias / Política

9 Jan 2019 - 17:44

MPE investiga empresa por contrato firmado com Prefeitura de MT

Qualycare prestou serviços de transporte de pacientes no município de Rondonópolis em 2016

MidiaNews

Publicidade

Publicidade

O promotor de Justiça Wagner Antônio Camilo, do Ministério Público Estadual de Rondonópolis, instaurou um inquérito civil para investigar a empresa Qualycare (Serviços de Saúde e Atendimento Domiciliar LTDA).
 
A empresa, assim como a Proclin (Sociedade Mato-Grossense de Assistência Médica em Medicina Interna) e a Prox Participações, foram alvos da Operação Sangria II, deflagrada em dezembro passado pela Delegacia Fazendária (Defaz). 
 
Conforme a Defaz, o grupo monopolizava os serviços da Saúde em Mato Grosso há 14 anos, por meio de influência política e econômica, oferecendo propinas, fraudando processos licitatórios e superfaturando contratos administrativos.
 
O promotor conta que tomou conhecimento que a empresa Qualycare era alvo da operação por meio de notícias online e que a mesma prestava serviços de transporte de pacientes rondonopolitanos para unidades de referência no Estado. 
 
“Considerando ainda que chegou ao meu conhecimento que a mesma empresa foi contratada pela Prefeitura Municipal de Rondonópolis no ano de 2016 através do Contrato nº264/2016, para prestação de serviços de transporte de UTI terrestre para atender os pacientes usuários do SUS durante transferências hospitalares entre hospitais de referência no Estado de Mato Grosso”, diz trecho da portaria publicada nesta segunda-feira (7).
 
Conforme o documento, a Prefeitura de Rondonópolis deve fornecer o contrato firmado entre os entes ao MPE no prazo de 10 dias.
 
A investigação pode levar a ajuização de uma ação civil pública ou de responsabilidade por improbidade administrativa. 
 
Operação Sangria II
 
A operação é um desdobramento do cumprimento de onze mandados de busca e apreensão, expedidos pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, ocorridos no dia 4 de dezembro, para apurar irregularidades em licitações e contratos firmados com a Proclin, Qualycare e a Prox Participações, firmados com o Município de Cuiabá e o Estado.
 
Em levantamento feito pela Controladoria Geral do Estado (CGE) aponta que as três empresas receberam R$ 82 milhões do Governo do Estado, em sete anos, por prestações de serviços médicos hospitalares.
 
O delegado Lindomar Aparecido Tofoli, que conduz as investigações, explicou que, no transcorrer das investigações do inquérito principal (119/2018), ficou constatado que o grupo teria destruído provas e apagado arquivos de computadores para dificultar as investigações, além de ter feito ameaças a testemunhas.
 
“O que chama a atenção é que atos totalmente reprováveis estão sendo cometidos por alguns membros da organização criminosa no intuito de ocultar, destruir provas, limpando gavetas, coagindo testemunhas, usando da influência política e econômica para interferir diretamente no cumprimento de contratos provenientes de processos licitatórios”, disse o delegado.
 
A investigação da Operação Sangria apura fraudes em licitação, organização criminosa e corrupção ativa e passiva, referente a condutas criminosas praticadas por médicos/administrador de empresa, funcionários públicos e outros, tendo como objeto lesão ao erário público, vinculados a Secretaria de Estado de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde, através de contratos celebrados com as empresas usadas pela organização, em especial, a Proclin e a Qualycare.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet