Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 24 de Março de 2019

Publicidade
0 7
:
4 9
:
3 0

Últimas Noticias

Torpedos

Br 158 Araguaia ?

fico me perguntando qual é a ideia destes políticos inites que ficam segurando o progresso de nossa...

Br 158 120 km já

venho aqui chamar a atenção de nossos representantes para que seja cobrado o asfaltamento com...

Colaborador

Quero deixar aqui meu comentário não é só a dona Gé que está trabalhando para os órgãos públicos...

Classificados

Fazenda

Cidade: Santa Terezinha

Anunciante: Raimundo

Valor: 240.000,00

TERRENO URBANO

Cidade: ALTO ARAGUAIA

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 30.000,00

FAZENDA 100 ALQUEIRES PARA GADO

Cidade: TERRA NOVA DO NORTE MT

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 2.500.000,00

publicidade

Notícias / Geral

11 Jan 2019 - 09:24

Secretaria contrata empresa em caráter emergencial para serviços do Samu

Contrato é de seis meses; além de garantir o atendimento, medida trará economia aos cofres públicos

Imprensa GOV MT

Publicidade

Publicidade

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, contratou a empresa Med Security Serviços Médicos EPP para gerir os serviços do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) em Mato Grosso.
 
O contrato, em caráter emergencial, entra em vigor a partir desta quinta-feira (10) e possui validade de seis meses, no valor de R$ 2,8 milhões.
 
O valor estabelecido no contrato é inferior ao praticado atualmente, representando economia aos cofres públicos.
 
Figueiredo explicou que a medida foi tomada para garantir a manutenção dos serviços prestados pelo Samu no Estado.
 
Isso porque a antiga gestão da secretaria deixou de efetuar os pagamentos para a empresa que até então realizava o atendimento móvel de urgência. Consequentemente, a empresa também não remunerou os cerca de 60 médicos contratados, que estão há meses sem receber.
 
Além disso, há uma discussão jurídica entre as empresas que disputam a licitação cujo objeto é a prestação deste serviço.
 
Desta forma, de acordo com o secretário, o contrato emergencial é necessário para garantir que o Samu continue a prestar atendimento enquanto a situação ainda está pendente de resolução.
 
“Não podemos arriscar a vida e a saúde das pessoas. O atendimento do Samu é imprescindível e essa foi a solução mais rápida, eficiente e econômica que encontramos a curto prazo”, explicou Figueiredo.
 
Apesar da contratação de uma nova empresa, Figueiredo garantiu que os médicos que prestaram os serviços à empresa anterior serão devidamente remunerados.
 
“Nós vamos efetuar o pagamento ou por meio do repasse devido à empresa que até então prestava o serviço ou por meio de um procedimento interno. Também sugerimos à nova empresa que contrate estes mesmos médicos para dar continuidade a este trabalho”, afirmou.
 
Economia
 
O novo contrato trará redução de despesas ao Poder Público: o valor do plantão, que até então custava R$ 1.480,00, passa a ser oferecido por R$ 1.195,00.
 
Por mês, isso resultará em uma economia de R$ 114.855,00 e, em seis meses, R$ 689.130,00.
 
Mesmo a um custo menor, os serviços oferecidos serão ampliados. De 316, os plantões mensais oferecidos passam a ser 403, um ganho de 27,5%.

Impasse jurídico
 
A licitação cujo objeto é a prestação de serviço de atendimento móvel de urgência havia sido vencida pela empresa Pró-Ativo Gestão da Saúde e Clínica Médica Ltda-Me.
 
Todavia, o conselheiro Moisés Maciel, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), determinou nesta semana a anulação do resultado da licitação.
 
Ele também determinou que a empresa Neomed Atendimento Hospitalar Eireli – que havia ofertado gerenciar o serviço por um preço menor – fosse reabilitada no certame.
 
Desta forma, o secretário Gilberto Figueiredo cumpriu a decisão e o processo licitatório voltou para a fase de habilitação, necessitando ainda de outros trâmites legais para ser novamente concluído.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet