Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 19 de Fevereiro de 2019

1 7
:
5 4
:
4 1

Últimas Noticias

Torpedos

Agenora na Educação

Eu vi a Agenora na Prefeitura ontem, lá na Educação. Mas a justiça não proibiu??? Pelo jeito ela...

FALTA DE IGUALDADE.!!!

Vejo esse Colégio Militar Racista e preconceituoso veja isso "I-50% (cinquenta por cento) para ...

confresa e nossa ou de politicos

ENTÃO COMO JÁ DISSE OUTRAS VEZES EU SOU FUNCIONÁRIO PÚBLICO DE CINFRESA DESDE O SEGUNDO MANDADO DO...

Campanha Publicitária

Classificados

Gran Siena actrotive

Cidade: Canabrava do Norte mt

Anunciante: Vinicius

Valor: 35.000

mão de oba

Cidade: Confresa MT

Anunciante: Antonio Carlos

Valor: A combinar

PRECISANDO DE DINHEIRO?

Cidade: Confresa

Anunciante: Empréstimo Consignado e Crédito Pessoal

Valor: Qualquer valor que desejar

Notícias / Agronegócio

30 Jan 2019 - 09:17

Consumo mundial de café atinge 165 milhões de sacas no ano cafeeiro 2018-2019

Produção dos Cafés do Brasil corresponde a 35% do consumo mundial, Vietnã 18%, Colômbia 9%, Indonésia 6%, Etiópia 5%, Honduras 5% e Índia 3%

Embrapa Café

Publicidade

Publicidade

 

Em nível mundial, no ano cafeeiro 2018-2019, a produção de café arábica foi estimada em 104,01 milhões de sacas e a de café robusta em 63,5 milhões de sacas, números que apontam um volume total equivalente a 167,47 milhões de sacas. Com base nesses dados, verifica-se que o café arábica terá crescimento de 2,5% e o robusta redução de 0,1%, se comparados com o ano cafeeiro anterior, cuja produção foi de 164,99 milhões de sacas de 60kg, das quais 101,44 milhões de arábica e 63,55 milhões de robusta.

No que concerne ao consumo mundial de café, do mesmo ano cafeeiro (2018-2019), tanto de países produtores como exportadores, estima-se um volume de 165,19 milhões de sacas consumidas, que representaram aumento de 2,1% em relação ao período anterior, que foi de 161,71 milhões de sacas. Nesse contexto, no caso específico dos países exportadores o consumo interno deverá aumentar em 1,4%, passando a 50,3 milhões. E nos países importadores o consumo também registrará o incremento de 2,5% e atingirá 114,88 milhões de sacas.

A demanda nos países importadores não tradicionais continua a crescer e acredita-se que responderá por cerca de 18% do consumo global em 2018/19. Calcula-se que tanto na África quanto na Ásia & Oceania o consumo aumentará 4,1%, perfazendo 12,23 e 36,25 milhões de sacas, respectivamente. Tem havido um aumento da demanda tanto em alguns países produtores dessas regiões quanto em mercados mais novos nos países importadores. Calcula-se que nos mercados mais tradicionais da Europa e América do Norte a demanda crescerá 1% e 2,5%, alcançando 53,51 e 30,73 milhões de sacas, respectivamente. Na América do Sul o consumo deve crescer 0,9%, alcançando 27,22 milhões de sacas, enquanto na América Central & México ele se manterá estável nos 5,23 milhões.

Para fins desta análise da conjuntura da cafeicultura global, os dados e números do setor foram obtidos do Relatório sobre o mercado de Café – dezembro 2018, da Organização Internacional do Café – OIC, o qual está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. A OIC, da qual o Brasil é um dos países-membro, é a principal instituição intergovernamental a serviço do café, congregando Governos, exportadores e importadores para, mediante cooperação internacional, enfrentar os desafios com que o café se depara no mundo todo.

O Relatório da OIC traz também como destaque, nas suas análises desta edição de dezembro de 2018, que na América do Sul a produção de café será de 79,94 milhões de sacas, o que representará aumento de 4,3%; na África a produção será de 17,80 milhões de sacas (aumento de 1,8%); México & América Central - 21,72 milhões (redução de 0,5%); e por fim na Ásia & Oceania a produção será de 48,01 milhões de sacas, a qual registrará decréscimo de 2,1%. Tais números permitem inferir que haverá crescimento de 1,5% na produção mundial que, conforme mencionado, será de 167,47 milhões de sacas.

O Relatório sobre o mercado de Café – dezembro 2018, da OIC, ao destacar o ranking dos sete principais produtores, respeitadas as peculiaridades dos anos-safra de cada país, aponta que o Brasil continuará a ser o líder mundial, cuja produção foi estimada em 58,5 milhões de sacas, a qual corresponde a aproximadamente 35% do consumo mundial. Em segundo – Vietnã –, cuja produção equivale a 18% do consumo mundial, com o suprimento de 29,5 milhões de sacas colhidas, volume que representa uma redução de 3,4% em relação à safra anterior. Em terceiro, destaca-se a Colômbia, que teve acréscimo na produção de 2,7% ao atingir 14,2 milhões de sacas, no ano cafeeiro de 2018-2019, volume que abastece em torno de 9% do consumo mundial.

Na sequência, em quarto no ranking, conforme o Relatório da OIC, figura a Indonésia, que produzirá 10,2 milhões de sacas, número 5,6% menor que a safra anterior, mas que é responsável por suprir 6% do consumo do planeta. A Etiópia - 7,5 milhões de sacas e acréscimo de 0,6% da sua safra -, ocupa o quinto lugar e fornece o equivalente a 5% do consumo global de café. Por fim, nesse ranking mundial de produtores de café, a OIC destaca Honduras, em sexto lugar, que, a despeito de ter tido queda de 1,5% na produção, colheu 7,45 milhões de sacas; e a Índia, em sétimo, com 5,2 milhões de sacas (redução de 10,5% na safra). Esses dois países são responsáveis por 5% e 3%, respectivamente, do suprimento do consumo em nível mundial.

Visite o site do Observatório do Café para ler na íntegra o Relatório sobre o mercado de Café - dezembro 2018, da OIC, pelo link.


Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet