Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 21 de Abril de 2019

0 9
:
1 1
:
4 6

Últimas Noticias

Torpedos

Baiano

O que Dr Eugênio em três meses de mandato já fez o que o baiano filho em 4 ano fez

praça do camilão

VENHO PEDIR AOS ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA PRAÇA DO CAMILÃO. O DESCASO QUE ELA SE ENCONTRA. O ÚNICO...

DESCASO PUBLICO

Caros amigos eleitores do baixo e norte Araguaia, enquanto não houver um conjunto de prefeitos para...

Enquete

Na sua opinião, quais são as prioridades para o Município de Confresa MT .

Campanha Publicitária

Classificados

Vendo ágio do lote com casa apenas levantada as paredes para assumir parcelas de 340.

Cidade: Confresa

Anunciante: Jaime Borges

Valor: 15.000.00

Rodistar agressiva 6800wats

Cidade: confresa MT

Anunciante: Marcos dione de souza

Valor: 500,00

Procura-se casa para alugar

Cidade: Confresa

Anunciante: Morgana

Valor: 600,00

Notícias / Agronegócio

7 Fev 2019 - 09:08 | Atualizado em 7 Fev 2019 - 09:10

Pastagens boas fazem produtores ofertarem mais bois para ganharem na reposição em Confresa

Na semana passada, os preços para o boi gordo estavam ao redor de R$ 136,00/@ a R$ 138,00/@.

Redação

Publicidade

Publicidade

No município de Confresa, a oferta de animais está alta e foi antecipado devido às pastagens estarem em ótimas condições. Diante desse cenário, as referências para o boi gordo recuaram e a arroba está cotada em torno de R$ 132,00 e a vaca está próxima de R$ 128,00 por arroba.

De acordo com o Presidente do Sindicato Rural da localidade, Biraja Capuzzo, as condições climáticas favoreceram a safra de soja e qualidade das pastagens. “Em função dos pastos em boa situação acabou antecipando a chegada dos animais. Nós não temos boi magro, e sim, o boi gordo e os frigoríficos estão nadando de braçada”, relata.

Na semana passada, os preços para o boi gordo estavam ao redor de R$ 136,00/@ a R$ 138,00/@. Já a vaca estava cotada a R$ 132,00/@, e agora, os valores estão no patamar de R$ 128,00/@. “Os pecuaristas podem ganhar durante a matança do boi em janeiro ao invés de esperar até o mês de fevereiro para realizar o abate”, comenta.

A liderança salienta que quando as referências para o boi gordo recuam compromete as negociações no mercado de reposição. “Esse mercado é muito volátil, quando a oferta é grande as indústrias frigoríficas pisam o pé no freio para ganhar na margem”, afirma.

Se na região tivesse mais uma unidade frigorífica, os pecuaristas não teriam que depender tanto da empresa JBS para abater os animais. “Dentro de um raio de 400 km só tem essa indústria abatendo, mas com todas as crises que aconteceram eles não devem nada aos fornecedores e nem de pecuarista. Ou seja, a empresa criou credibilidade  e sobram no mercado”, ressalta.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet