Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Terça-feira 20 de Agosto de 2019

0 2
:
0 7
:
4 1
publicidade

Notícias / Polícia

7 Fev 2019 - 15:06

Fazendeiro mata homem na propriedade dele, procura a polícia para denunciar invasão e é preso em MT

Fazenda, localizada na divisa com uma área de grilagem e fronteira com a Bolívia, tem histórico de invasões e ataques desde 2011.

G1 MT

Publicidade

Um fazendeiro foi preso nessa quarta-feira (6) suspeito de ter matado um homem que teria invadido a propriedade dele, na zona rural de Porto Esperidião, a 358 km de Cuiabá. A área fica na fronteira com a Bolívia e tem histórico de invasões e confrontos desde 2011.

Segundo o Grupo Especial de Fronteira (Gefron), o fazendeiro, Geraldo Pilati Alba, de 57 anos, procurou os policiais e se entregou. Ele confessou que atirou e matou um homem identificado como Adailton Correa Junho, de 45 anos.

O fazendeiro estava acompanhado da filha dele, de 35 anos. Eles afirmaram que o suspeito invadiu a propriedade deles e ocorreu um tiroteio.

Ele disse à Polícia Civil que matou a vítima porque acreditava que o suspeito estava envolvido no último ataque na fazenda.

A filha do fazendeiro foi baleada na perna e no braço. Já Geraldo estava ferido na cabeça.

Feridos, pai e filha relataram que conseguiram sair do local, ir até uma estrada e pediram carona até a base da polícia.

Os dois receberam atendimento médico em um posto de saúde. O fazendeiro entregou à polícia uma arma supostamente usada na situação.

Adailton foi socorrido de ambulância para o Hospital Regional de Cáceres, a 220 km de Cuiabá, onde morreu. Geraldo recebeu atendimento médico em Porto Esperidião e foi liberado. A filha dele ficou internada em observação na unidade.

De acordo com a Polícia Civil, o fazendeiro sofria ataques na propriedade há vários anos. O fazendeiro está preso na 1ª Delegacia da Polícia Civil de Cáceres.

Histórico de confronto

Em 2012, a Polícia Civil investigou o assassinato de três homens dentro da fazenda de Geraldo.

A propriedade está localizada no distrito de Vila Cardoso, uma região que fica a 120 quilômetros da fronteira com a Bolívia. As vítimas foram mortas a tiros no dia 14 de setembro enquanto trabalhavam no local.

À época, cinco funcionários foram contratados para obras na fazenda. Dois deles conseguiram escapar dos tiros e sobreviveram a chacina.

Em 2011 a fazenda foi alvo de outros ataques, como um incêndio criminoso. A residência, o alojamento dos funcionários, dois barracões, um galpão e todo o maquinário foram destruídos pelo fogo.

Inserir comentário

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

  • por Elizabete Soares, em 7 Fev 2019 às 16:21

    Eh está dificil de ter alguma coisa e de ter paz em nosso BRASIL

 
Sitevip Internet