Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Terça-feira 20 de Agosto de 2019

0 2
:
3 4
:
0 2

Notícias / Política

12 Fev 2019 - 15:08

MPE pediu, em 2018, afastamento de Maluf do cargo de deputado

Pedido foi procolado no ano passado pelo Naco e o Gaeco do Ministério Público Estadual

Mídia News

Publicidade

O Ministério Público Estadual (MPE) pediu o afastamento do deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB) de suas funções.
 
O pedido foi feito no ano passado em uma investigação do Naco (Núcleo de Ações de Competência Ordinária) e do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), ambos do MPE, e confirmdo por uma fonte da própria instituição.
 
O pedido está na denúncia oferecida pelo MPE relacionada à Operação Rêmora, em que o parlamentar é acusado de participar de organização criminosa, corrupção passiva (20 vezes) e embaraçamento da investigação.
  
Na manhã desta terça-feira (12),  a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça informou que outro pedido havia sido protocolado nesta segunda-feira (11).
 
Mais tarde, no entanto, a assessoria corrigiu a informação e negou novo pedido de afastamento.
 
Denúncia
 
O deputado Guilherme Maluf, que é candidato a conselheiro no Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), é alvo de uma denúncia do MPE pela suspeita de envolvimento em um esquema de desvio de dinheiro público da Secretaria de Educação (Seduc). 
 
A denúncia é desdobramento da Operação Rêmora, que apurou um esquema de fraudes em diversas licitações da Pasta para construção e reforma de escolas, por meio da exigência de propina aos empresários que formavam o cartel.
 
O deputado é acusado de integrar o núcleo de liderança da organização, sendo beneficiário direto de parcela da propina arrecadada.
 
Além disso, o MPE o acusa de se valer das influências políticas proporcionadas pelo cargo para "promover as articulações necessárias para o desenvolvimento dos esquemas voltados para solicitação e recebimento de propinas

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet