Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 24 de Março de 2019

1 6
:
4 7
:
2 0

Últimas Noticias

Torpedos

Br 158 Araguaia ?

fico me perguntando qual é a ideia destes políticos inites que ficam segurando o progresso de nossa...

Br 158 120 km já

venho aqui chamar a atenção de nossos representantes para que seja cobrado o asfaltamento com...

Colaborador

Quero deixar aqui meu comentário não é só a dona Gé que está trabalhando para os órgãos públicos...

Classificados

Fazenda

Cidade: Santa Terezinha

Anunciante: Raimundo

Valor: 240.000,00

TERRENO URBANO

Cidade: ALTO ARAGUAIA

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 30.000,00

FAZENDA 100 ALQUEIRES PARA GADO

Cidade: TERRA NOVA DO NORTE MT

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 2.500.000,00

Notícias / Política

12 Mar 2019 - 14:30

MPE pede que município de Rondonópolis não contrate empresa investigada na Operação Catarata

Gazeta Digital

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)

Publicidade

Publicidade

O município de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá) pode ser impedido de contratar a empresa 20/20 Serviços Médicos S/S para oferecer serviços oftalmológicos. Consta na ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Estado (MPE) que a empresa não tem idoneidade porque responde judicialmente por ilegalidades cometidas em várias cidades do estado.  

 A 20/20 está sendo investigada na Operação Catarata por irregularidades na execução do contrato firmado com o Governo Estado, na qual previa o fornecimento de cirurgias oftalmológicas aos usuários da Caravana da Transformação. O processo tramita na Vara Especializada em Ação Civil Pública de Cuiabá. De acordo com o promotor de justiça, Wagner Antônio Camilo,a parceria, cujo contrato está avaliado em R$ 2,5 milhões, causaria grave dano ao erário municipal e prejuízos à própria saúde pública da cidade.   

 

“A empresa 20/20 SERVIÇOS MÉDICOS S/S, esta envolta em diversos processos judiciais e ilegalidades por todo o Brasil, cujos serviços representam um grave e seríssimo risco não somente ao patrimônio público, como principalmente à saúde pública dos pacientes rondonopolitanos que eventualmente vierem para ela serem encaminhados!”, consta na ação.   O promotor ainda destacou ilegalidades no procedimento de contratação, já que o município apresentou justificativas genéricas para a não realização de processo licitatório.  

 

Além disso, pontuou que os gestores podem convocar aprovados e classificados em concurso público ao invés de contratar sem licitação. O MPE sugere pena de multa de R$ 10 mil com o descumprimento da ação.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet