Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 24 de Março de 2019

1 6
:
4 9
:
3 2

Últimas Noticias

Torpedos

Br 158 Araguaia ?

fico me perguntando qual é a ideia destes políticos inites que ficam segurando o progresso de nossa...

Br 158 120 km já

venho aqui chamar a atenção de nossos representantes para que seja cobrado o asfaltamento com...

Colaborador

Quero deixar aqui meu comentário não é só a dona Gé que está trabalhando para os órgãos públicos...

Classificados

Fazenda

Cidade: Santa Terezinha

Anunciante: Raimundo

Valor: 240.000,00

TERRENO URBANO

Cidade: ALTO ARAGUAIA

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 30.000,00

FAZENDA 100 ALQUEIRES PARA GADO

Cidade: TERRA NOVA DO NORTE MT

Anunciante: CLAYTON REGIS CARNIEL

Valor: 2.500.000,00

Notícias / Política

15 Mar 2019 - 09:19

Membro da CPI, Wellington recebeu R$ 150 mil de mineradora

Senador mato-grossense compõe comissão que vai investigar a tragédia de Brumadinho

O GLOBO

Reprodução

O senador mato-grossense Wellington Fagundes (Crédito: Reprodução)

O senador mato-grossense Wellington Fagundes

Publicidade

Publicidade

O senador Wellington Fagundes (PR), membro da CPI instalada para investigar a tragédia de Brumadinho, é um dos seis parlamentares que compõem a comissão e que receberam verbas de minerados em campanhas eleitorais passadas.

 

A informação consta em reportagem do Jornal O Globo, segundo a qual o senador de Mato Grosso recebeu R$ 150 mil da mineradora Cavalca Construções e Minerações Ltda em 2014.

 

Leia a reportagem na íntegra:

 

Seis dos 14 senadores que compõem a CPI instalada para investigar a tragédia de Brumadinho já receberam, direta ou indiretamente, verba de mineradoras em suas campanhas em eleições passadas.

 

O senador Carlos Viana (PSD-MG), nomeado relator da CPI, recebeu R$ 100 mil de um executivo Luís Fernando Franceschini, diretor do Grupo Biogold, nas eleições de 2018. Procurado, ele diz que há uma diferença entre receber uma doação legal e defender uma atuação das empresas que ponha vidas em risco.

 

"Uma coisa é receber uma doação legal, outra é concordar com coisa errada. Pela importância do setor da mineração, é muito difícil em Minas Gerais não buscar um setor que tenha uma coisa ligada à mineração, ou um ex-funcionário".

 

Viana diz, ainda, que "não deve nada" a Franceschini, recebeu a doação através de pessoas do partido e nunca esteve com o diretor.

 

"Acho que a força-tarefa em Minas deveria também incluir (essa questão) nesse procedimento (de investigação) na Vale, saber: a empresa financiou alguém? Quem foram os financiados? Seria ótimo colocar isso a limpo", acrescentou.

 

O senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) recebeu R$ 18 mil da Vale e R$ 13 mil de outras mineradoras nas eleições de 2014, verba repassada através de outros candidatos do seu partido. Otto Alencar (PSD-BA), outro senador a integrar a CPI, recebeu R$ 1,4 mil da Vale em 2014, também encaminhados por outro candidato.

 

Já em doações diretas, a senadora Rose de Freitas (PODE-ES) recebeu R$ 200 da Salobo, projeto de cobre da Vale, em 2014, e Wellington Fagundes (PR-MT) recebeu R$ 150 mil de uma mineradora chamada Cavalca Construções e Minerações Ltda no mesmo ano. Jean Paul Prates (PT-RN), suplente de Fátima Bezerra, fez campanha em 2014 com R$ 58 da Serveng, grupo que atua com obras, energia e mineração.

 

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

Campanha publicitária
 
Sitevip Internet