Agência da Notícia

14 anos no MT

Agência da Notícia, Domingo 17 de Novembro de 2019

1 0
:
1 0
:
0 5

Últimas Noticias

Notícias / Economia

30 Abr 2019 - 14:20

Gallo diz que União ainda não descartou calamidade financeira

Auditor da Secretária do Tesouro Nacional disse que União reconhece apenas calamidade pública

Mídia News

Alair Ribeiro/MidiaNews

O secretário de Estado de Fazenda Rogério Gallo (Crédito: Alair Ribeiro/MidiaNews)

O secretário de Estado de Fazenda Rogério Gallo

Publicidade

O secretário de Estado de Fazenda Rogério Gallo afirmou que, apesar de haver uma sinalização negativa, a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) ainda não respondeu oficialmente se reconhece ou não o decreto de calamidade financeira assinado pelo governador Mauro Mendes (DEM).

 

Segundo ele, apenas um auditor da Pasta, ao ser questionado pela imprensa, disse que o Governo costuma reconhecer apenas calamidade para desastres naturais.

 

“Não houve uma comunicação formal. Houve uma resposta de um auditor a uma pergunta feita pela imprensa em um caso genérico. A Secretaria do Tesouro Nacional disse que tem um entendimento de que calamidade só compreende para desastres naturais. Como o que ocorreu em Brumadinho. Nós e os outros Estados temos outro entendimento”, afirmou.

 “É obvio que isso, certamente, reflete um posicionamento da Secretaria. Porém, eu quero acreditar que a reunião que tivemos em fevereiro, entre o governador e o ministro Paulo Guedes, dê resultado. Que é o apoio que precisamos para o que é de direito do Estado”, disse.

 

Gallo explicou que o decreto tem o principal objetivo de acelerar o processo de pagamento de R$ 450 milhões do Auxílio Financeiro para Fomento às Exportações (FEX), referente ao ano passado. Além disso, também o mesmo valor referente a 2019.

 

Com a medida, Mendes pretendia obter fôlego financeiro e administrativo para os primeiros meses de sua gestão. 

 

“Nós não estamos pedindo um centavo a mais daquilo que não seja direito do Estado de Mato Grosso, que é o pagamento do FEX de 2018 e o de 2019. É por isso que nosso pleito continua. Ainda não foi respondido. Nós temos a expectativa de que seja respondido em breve”, afirmou.

 

“A calamidade financeira viria apenas com um apoio para o Governo Federal fazer esse pagamento como medida provisória. Nós continuamos na expectativa de que isso seria possível. Embora já tenham dado alguma demonstração de que o FEX não estaria na agenda do momento”, completou.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet