Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Domingo 22 de Setembro de 2019

1 3
:
5 5
:
5 4

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Internauta AN

Notícias / Judiciário

9 Mai 2019 - 11:00

Acusados de desviar R$ 30 milhões do Banco do Brasil são presos em Mato Grosso e outros oito Estados

Olhar Direto

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)

Publicidade

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou, nesta quinta-feira (09), uma megaoperação em Mato Grosso e outros oito Estados, com o objetivo de prender suspeitos de desviar quase R$ 30 milhões do Banco do Brasil entre 2017 e 2018. Entre os alvos estão ex-funcionários do banco estatal e empresários. No total, são 17 mandados de prisão. A ação foi batizada de 'Crédito Viciado'.

No total, conforme a Polícia Civil do Distrito Federal, são cumpridos 17 mandados de prisão temporária e 28 de busca e apreensão em Mato Grosso, Pernambuco, Goiás, Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná e no DF.

Com a investigação, a Justiça autorizou o bloqueio de R$ 16 milhões das contas dos suspeitos.

Entre os alvos estão dois ex-funcionários do banco estatal e empresários de 11 empresas terceirizadas que tinham contrato com a instituição financeira para cobrar dívidas de clientes.

As investigações apontam que o esquema funcionava da seguinte forma: quando o cliente do banco quitava a dívida após contato com a terceirizada, o Banco do Brasil, automaticamente, pagava uma comissão. Só que, em alguns casos, o sistema apresentava inconsistência – uma espécie de erro técnico – e o pagamento tinha que ser feito manualmente por um servidor.

Sendo assim, o banco pagava um valor a mais para a prestadora de serviços e "recebia de volta um valor de propina". 

Ficou constatado que, á época, um dos responsáveis por esse pagamento chegou a receber R$ 4 milhões em créditos ao longo de dois anos. Ele foi demitido pelo próprio banco em janeiro. Outro teria também teria recebido R$ 900 mil na conta.

A operação é feita pela Coordenação de Combate ao Crime Organizado (Cecor) e envolve 140 agentes da unidade e de outras delegacias no país.

Foi o Banco do Brasil quem denunciou o esquema para a polícia após uma auditoria interna que descobriu o rombo. A prisão é temporária e vale por cinco dias. O grupo vai responder pelos crimes de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro. (Com informações do G1/DF)

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet