Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Quarta-feira 18 de Setembro de 2019

2 1
:
3 9
:
1 2

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Internauta AN

Notícias / Geral

22 Mai 2019 - 16:40

“Governo não aponta perspectiva de cumprir a lei”, afirma Sintep

Legislação de 2013 dá direito a 7,69% de reajuste anual na remuneração dos professores

Mídia News

Alair Ribeiro/MidiaNews

O presidente do Sintep, Valdeir Perereira (Crédito: Alair Ribeiro/MidiaNews)

O presidente do Sintep, Valdeir Perereira

Publicidade

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) Valdeir Pereira afirmou que o governador Mauro Mendes (DEM) não deu perspectiva nenhuma para o cumprimento, em 2019, da lei que garante a dobra do poder de compra dos salários dos professores.

 

A lei foi aprovada em 2013 ainda na gestão Silval Barbosa e previa ganhos reais anuais de 7,69% até 2022, além da Revisão Geral Anual (RGA).

 

Segundo o presidente, um comunicado foi encaminhado para a categoria nesta sexta-feira (17), avisando sobre a dificuldade que o Governo está encontrando para pagar benefícios aos servidores da Educação, inclusive o aumento. 


 

Em resposta ao Governo, os servidores da Educação decidiram em assembleia geral deflagrar greve geral a partir da próxima segunda-feira (27).  

 

“Esse documento foi rejeitado pela categoria, porque é um documento bastante evasivo e ele coloca o pagamento [da Lei da dobra] condicionado à Lei de Responsabilidade Fiscal, coloca um série de outras questões, mas não aponta perspectiva de atendimento”, disse o sindicalista ao MidiaNews. 

 

“Isso gera uma desconfiança. O governador, em uma reunião da AMM [Associação Mato-grossense dos Municípios], chamou a lei de 'palhaçada'”, completou.

 

A categoria pede que o Governo faça um calendário para melhorar a infraestrutura das escolas, pague a lei da dobra do poder de compra, além de exigir a RGA, realização de concurso público e o não escalonamento da folha salarial.

 

O presidente do Sintep garante que pautas como a RGA não serão determinantes para um possível encerramento do movimento paredista. Já que, segundo ele, a revisão é uma pauta dos servidores públicos do Estado, tendo o Fórum Sindical à frente.

 

“Nós temos um entendimento de que a RGA atende a todo funcionalismo público. E ela é uma pauta que deve ser tratada dentro do Fórum Sindical. Claro que faz parte das nossas reivindicações, mas, no entanto, não é fator determinante na nossa greve”, afirma.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet