Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Domingo 15 de Setembro de 2019

1 3
:
3 1
:
0 4

Últimas Noticias

Internauta AN

Notícias / Tecnologia

26 Jun 2019 - 08:57

7 previsões para o futuro que não deveríamos ignorar

Fatos desconhecidos

Publicidade

 

Prever o futuro é sempre um trabalho de incertezas, visto que na metade do tempo não podemos nem fazer precisas previsões meteorológicas. Quem poderia ter adivinhado há algumas décadas o quanto a internet, por si só, moldaria o mundo de hoje? Entretanto, claro, isso não significa que as pessoas não estão tentando antecipar as coisas estranhas que possam acontecer. Muitas das mentes mais refinadas do mundo deram uma olhada nas tendências e desenvolvimentos atuais e criaram previsões estranhas sobre como a vida poderia ser no futuro. Algumas parecem bastante exageradas. Outras quase garantem confirmações. Ainda assim, todos eles têm uma coisa em comum: nós, provavelmente, nos sentiríamos melhor se eles fossem muito, muito imprecisos. Confira 7 previsões para o futuro que não deveríamos ignorar.

Nós somos aficionados por adivinhação ou qualquer possibilidade de estarmos um passo à frente do "destino". Não é à toa que existem diversas teorias, fundamentadas ou não em critérios científicos, que inferem sentimentos múltiplos.

1- Extinção em massa

O Dr. Richard Leakey da IUCN concorda que o mundo está dando seus primeiros passos em direção à maior extinção em massa desde que os dinossauros morreram. Só que desta vez a humanidade desempenha o papel do cometa. A Physics World aponta que cerca de um milhão de espécies do mundo pode enfrentar a extinção graças às ações humanas.

Ainda assim, para colocar as coisas em perspectiva: as extinções em massa são parte da ordem natural. Elas já aconteceram várias vezes antes para dar o pontapé inicial no processo. É quase certo que a vida, em geral, perseverará . Afinal, estamos aqui apesar de todas as extinções em massa que vieram antes de nós.

2- E se os antibióticos parassem de funcionar?

Segundo a BBC, a situação de superbactéria está começando a ser preocupante. Se não reduzirmos significativamente nosso uso desenfreado de antibióticos, há uma chance de que um dia eles simplesmente não funcionem mais. É aí que infecções comuns e pequenos arranhões se tornariam potencialmente letais. Subsequentemente, a quimioterapia e as cirurgias complexas seriam impossíveis de serem eficientes.

A Dra. Margaret Chan, diretora-geral da Organização Mundial de Saúde, chegou a dizer que a era pós-antibiótico pode ser "o fim da medicina moderna como a conhecemos". Essa é uma das previsões para o futuro que não deveríamos ignorar.

3- Destruição de satélites

Uma quantidade surpreendente de tecnologia moderna depende muito da existência de satélites. De acordo com o io9, a destruição de todos (ou até mesmo de uma parte significativa) dos satélites em órbita nos remeteria prontamente a meio caminho da era tecnológica. Isso limitaria as comunicações e destruiria o GPS. Poderíamos ficar sem a internet, a TV e o rádio. Além disso, os cartões de crédito e caixas eletrônicos seriam inúteis.

Infelizmente, existem maneiras de isso acontecer. Uma enorme tempestade solar poderia criar uma poderosa tempestade geomagnética, como o Evento Carrington, de 1859. Ele poderia ter destruído todos os dispositivos em órbita, se eles existissem naquela época. Há também a chance da síndrome de Kessler, onde uma reação em cadeia de colisões de detritos espaciais, se transformaria em um liquidificador em órbita, que destrói tudo em seu caminho.

4- "Super trabalhadores" e o uso intensivo de remédios para melhorar o desempenho

A Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho antecipou que o uso de medicamentos para melhorar a cognição aumentará no futuro, à medida que as pessoas tentarem acompanhar o ritmo do ambiente de trabalho. Os estudos foram mediados depois de analisar a "sociedade e o ambiente de trabalho cada vez mais competitivos". Além disso, a Revista HR também levanta a possibilidade de "drogas inteligentes" como uma parte inata de "locais de trabalho focados no desempenho".

Claro, só porque as agências e publicações relacionadas ao trabalho especulam que algo pode acontecer, não significa que realmente acontecerá. A mesma revista apontou que trabalhadores do serviço de emergência, militares e médicos usaram intensificadores de desempenho por muitos anos. Então, de certa forma, o fenômeno não é exatamente novo. Essa é uma das previsões para o futuro que não deveríamos ignorar.

5- Robôs vão aprender a nos manipular

De acordo com a Plos One, pesquisadores da Universidade de Duisburg-Essen publicaram um estudo em 2018, que mostra que os robôs podem realmente nos influenciar, pelo menos até certo ponto. A experiência fez com que 89 voluntários interagissem com "Nao", um robô humanoide. Os voluntários pensaram que sua missão era "melhorar as capacidades de interação do robô testando um novo algoritmo".

No entanto, os pesquisadores queriam saber se o robô poderia influenciar a emoção quando os participantes da experiência tivessem que desligá-lo. Um apelo robótico e desesperado de "Não! Por favor, não me desligue!" foi o suficiente para fazer as pessoas hesitarem. Alguns deles até mesmo se recusaram a desligá-lo.

6- Umidade e inundações

Mesmo sem o aumento do nível do mar, a cidade de Veneza estaria afundando de maneira gradativa. Atualmente, inunda mais de 60 vezes por ano, em oposição às quatro ou mais vezes por ano, em 1900. Como tal, a cidade portuária está tentando lutar contra o mar com um elaborado sistema de comportas chamado MOSE. Infelizmente, alguns especialistas questionam a eficácia do sistema e até previram que o mar reivindicaria Veneza, até o ano 2100.

Enquanto isso, ainda há tempo de sobra para descobrir uma solução para a apropriadamente apelidada "Cidade Flutuante". The Guardian ressaltou, inclusive, que Veneza está longe de ser a única cidade a sofrer os efeitos do aumento do nível do mar através do aquecimento global. Grandes "trechos de Osaka [do Japão]", poderiam desaparecer debaixo d'água, deslocando cerca de 5,2 milhões de pessoas e ameaçando a economia local.

Alexandria no Egito é outra vítima em potencial, com uma estimativa de três milhões de pessoas em risco de pelo menos estarem "parcialmente submersas em 2070". Essa é uma das previsões para o futuro que não deveríamos ignorar.

7- Mudança radical nos hábitos alimentares

Em algum momento, a maneira como comemos tem que mudar. Como observa o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, o crescimento populacional, a mudança climática e a evolução das preferências alimentares indicam a necessidade de repensar nosso sistema alimentar de maneira radical. De acordo com a National Geographic e a CNN, algumas dessas mudanças podem ser desagradáveis: em vez de um delicioso hambúrguer, sua refeição futura pode conter insetos.


Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet