Agência da Notícia

Há 14 anos no MT

Agência da Notícia, Segunda-feira 16 de Setembro de 2019

Publicidade
0 9
:
1 3
:
1 1

Notícias / Política

9 Set 2019 - 16:36

Pressão do PSL para retirada de assinatura motiva saída de Selma

Partido não teria interesse em investigação contra ministro do Supremo Tribunal Federal

Mídia News

Alair Ribeiro/MidiaNews

 (Crédito: Alair Ribeiro/MidiaNews)

Publicidade

A pressão do PSL nacional, partido do presidente Jair Bolsonaro, para que a senadora Selma Arruda retire sua assinatura do pedido de instalação da CPI da Lava Toga, para investigar o Judiciário, é apontada como o real motivo da provável saída da parlamentar da sigla.

 

Nas últimas semanas, a senadora vem externando a insatisfação com o PSL e recebeu convite para migrar para o Podemos, do senador Alvaro Dias.

 

"Hoje, a possibilidade de Selma deixar o PSL é de 90%. Ela já deixou claro ao partido que não admite esse tipo de interferência e que não irá retirar sua assinatura", afirmou uma fonte do MidiaNews.

 

Segundo apurou a reportagem, o PSL não tem interesse na CPI que, caso instalada, irá também investigar a atuação do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

 

Ele foi o responsável por suspender, temporariamente, todas as investigações em curso no País que tenham como base dados sigilosos compartilhados pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e pela Receita Federal sem autorização prévia da Justiça. A medida beneficiou o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente.

 Selma teria dito à alta cúpula do PSL que se a pressão continuar iria sair do partido. Ela tem “muita simpatia” pelo Podemos, por ter uma boa relação com Alvaro Dias.

 

O senador é líder do partido e foi quem fez o convite para que Selma trocasse de sigla.

 

“Ele não pressiona os senadores para nada, por isso a intenção dela ir para lá. As chances dela sair do PSL são de 90%”, disse a fonte ao MidiaNews.

 

Até o momento, o pedido de abertura de CPI contra Toffoli conta com 27 assinaturas e precisa de mais duas para ser apresentado.

 

O grupo, entretanto, deve somar mais assinaturas que o necessário para evitar que retiradas de assinaturas em cima da hora impeçam a investigação.

 

A investigação deve focar no chamado inquérito das fake news. Os senadores argumentam que o ministro teria instaurado a medida de forma ilegal.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet