Agência da Notícia

14 anos no MT

Agência da Notícia, Quarta-feira 20 de Novembro de 2019

1 7
:
2 1
:
2 6

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Esporte

16 Set 2019 - 14:11

Coordenador da Sema é preso; operação apreende carros de luxo

No total, a ação da Polícia Civil cumpre 12 mandados de prisão e 13 de buscas apreensão

Mídia News

Alair Ribeiro/Mídia News

 (Crédito: Alair Ribeiro/Mídia News)

Publicidade

O coordenador de um setor da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Ronnky Chaell Braga da Silva, é um dos alvos da 6ª fase da Operação Polygonum, deflagrada na manhã desta segunda-feira (16). Ele foi candidato a deputado estadual em 2014, pelo PSC.
 
A reportagem apurou que, além de servidores da ativa, a operação da Polícia Civil também prendeu aposentados.
  
No total, a ação  cumpre 12 mandados de prisão e 13 de buscas apreensão contra engenheiros florestais, empresário e servidores da Secretaria.  
 
Durante os cumprimentos dos mandados, os policiais apreenderam uma BMW e uma Toyota SW4. Os carros foram encaminhados para a Delegacia de Meio Ambiente (Dema). 
  
A investigação refere-se a fraudes praticadas no âmbito da Gestão Florestal, visando a supressão da vegetação nativa, diminuindo a área destinada à reserva legal, ao classificar a tipologia da propriedade de área de floresta em área de cerrado, em desconformidade com a lei.
 
Segundo a Polícia, relatórios de tipologia elaborados por engenheiros florestais, contendo informações falsas acerca do tipo de vegetação existente no imóvel, seriam encaminhados à Sema, órgão responsável por vistoriar a área e confrontar as informações apresentadas no laudo.
 
Conforme as investigaçõs, alguns servidores responsáveis pela vistoria iam a propriedades rurais e validavam as informações falsas, reenquadrando a classificação da fitofisionomia vegetal da propriedade, aumentando a área passível de desmate com diminuição do coeficiente de reserva legal.
 
As investigações indicam ainda que proprietários de imóveis rurais, através de engenheiro florestal, estariam fraudando o sistema ambiental com relatórios ambientais inidôneos. O imóvel localizado em bioma amazônico, por exemplo, pode ser desmatado em apenas 20%. Contudo, se a tipologia florestal for de Cerrado, o proprietário tem direito a desmatar 65%.
 
A Polícia Civil explicou que, com um relatório falso aprovado pela Sema, é possível desmatar mais do que o triplo permitido pelo Código Florestal. Assim, uma fazenda de 10.000 hectares, localizada no bioma amazônico, poderá desmatar 4.500 hectares a mais com o relatório fraudado aprovado pela Sema.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet