Agência da Notícia

14 anos no MT

Agência da Notícia, Quinta-feira 12 de Dezembro de 2019

1 0
:
2 4
:
2 4

Últimas Noticias

Notícias / Agronegócio

12 Nov 2019 - 10:42

Volta da helicoverpa ameaça safra de soja em Mato Grosso

RepórterAgro

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)

Publicidade

O início da safra de soja reservou uma surpresa que os produtores de Mato Grosso não esperavam. O reaparecimento da lagarta Helicoverpa armigera deixou o setor em alerta no começo da safra. E é fácil entender os motivos. Controlada com dificuldade nos últimos anos, após muita pesquisa, e uma mobilização poucas vezes vista no meio agrícola, a praga causou prejuízos bilionários ao setor quando apareceu entre os anos de 2013 e 2014.


Inicialmente confundida com a lagarta da maçã, a helicoverpa aos poucos foi se multiplicando e tomando conta das plantações de algodão do oeste baiano. Quando os produtores e engenheiros agrônomos se deram conta, já era tarde, os prejuízos atingiam quase R$ 2 bilhões.

Não precisou muito tempo para a lagarta se espalhar para outros estados e virar um pesadelo em praticamente todas as culturas, principalmente soja, milho e algodão.

Considerada uma das principais pragas polífagas do mundo, no Brasil até então era desconhecida e causou pavor no meio agrícola, diminuindo a rentabilidade e sendo eleita, naquele momento, a principal inimiga do campo.


Alguns estados conseguiram a liberação emergencial para utilizar o benzoato de emamectina, produto até então de uso proibido no Brasil e com grande eficácia no controle da helicoverpa. Nesse período, motivado pela necessidade, o setor se uniu no sentido de sensibilizar as autoridades a aprovar um defensivo que finalmente estivesse ao alcance dos produtores, e que fosse eficiente no combate à helicoverpa.


No final de 2017, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) aprovaram o primeiro inseticida do mercado brasileiro eficaz no controle dessas lagartas, pragas que podem causar perdas superiores a 50% na produtividade das lavouras.


A helicoverpa voltou a aparecer no estágio vegetativo da soja em várias regiões de Mato Grosso. Em alguns casos, as infestações são mais preocupantes. A orientação, segundo Vinicius Zardo, gerente de produto da linha de inseticidas da Syngenta, é para os produtores redobrarem o monitoramento nas propriedades.


Em caso de necessidade comprovada pela orientação técnica, o inseticida deve ser utilizado imediatamente. “Não pode haver demora e o controle deve ser feito com um produto de rápida penetração no tecido foliar. Após a ingestão pela lagarta, ele bloqueia a alimentação da praga. Se essa ação não for realizada no momento correto, a produtividade da safra pode ser seriamente comprometida”, alerta Zardo.

Diferentemente de quando surgiu em 2013, agora os produtores rurais têm, ao alcance da mão, os meios ideais para controlar a helicoverpa. Basta a orientação técnica adequada e o uso preciso do inseticida correto.

Inserir comentário

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet