Agência da Notícia

Informação é Aqui!

Agência da Notícia, Sábado 29 de Fevereiro de 2020

0 2
:
4 0
:
1 8

Últimas Noticias

Campanha Publicitária
publicidade

Notícias / Agronegócio

24 Jan 2020 - 09:47

Dia D para produtores de leite do oeste de MT

O prazo dado aos laticínios para uma resposta ao abaixo-assinado reivindicando o reajuste do preço do leite vence entre hoje e amanhã

Portal DBO

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)

Publicidade

A qualquer momento os produtores de leite do oeste de Mato Grosso podem receber a resposta oficial sobre o abaixo-assinado entregue por eles aos laticínios na semana passada, reivindicando o pagamento do litro de leite a R$ 1,37. Cinco dias úteis foi o prazo dado pelos produtores para o posicionamento.

Na quinta e sexta-feira da semana passada os produtores protocolaram o documento na Câmara Temática do Leite da Assembleia Legislativa do Estado, em Sindicatos de Trabalhadores Rurais e de Produtores Rurais dos vários municípios e também junto aos laticínios e cooperativas de toda a região. Entre hoje e segunda-feira, portanto, devem obter a tão aguardada resposta.

Se for positiva, o movimento deve aproveitar a união inédita para encaminhar a criação de uma associação que represente todos os produtores de leite da região. Se a resposta for negativa, o primeiro passo, segundo os organizadores, é realizar uma audiência pública para encaminhar a paralisação.

Os produtores são unânimes em afirmar que não desejam a greve, esperam a abertura de um diálogo com os laticínios, mas pelas conversas no whatsapp é possível perceber a firmeza com que defendem a solução radical se a resposta for negativa. Soltar a bezerrada no pasto, segundo eles, compensa mais que continuar na atividade.

Tudo começou em uma audiência pública realizada no mês de outubro em Araputanga com cerca de 500 produtores. A discussão principal foi a de que nessa região os produtores vinham recebendo cerca de 20 centavos a menos por litro de leite do que os laticínios estavam pagando no restante do Estado. A partir dali, os produtores se organizaram em grupos de whatsapp e  começaram a coletar assinaturas de porta em porta para exigir o reajuste pelos laticínios. Os organizadores calculam que conseguiram a assinatura de mais de 50% dos produtores de leite da região.

Marta Cibele Lacerda Marquezam, produtora de leite junto com o marido em Pontes e Lacerda, é uma das mais atuantes no whatsapp. Com 25 vacas em lactação, produz diariamente cerca de 150 litros.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet