Agência da Notícia

Informação é Aqui!

Agência da Notícia, Sábado 29 de Fevereiro de 2020

0 3
:
2 2
:
4 0

Últimas Noticias

publicidade

Notícias / Judiciário

14 Fev 2020 - 15:00

Justiça confirma devolução de Hilux a ex-vereador de Cuiabá

Magistrado citou que veículo já havia sido restituído a Wilson Teixeira, o Dentinho

Folha Max

Publicidade

Em despacho assinado no último dia 7 de fevereiro, o juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, confirmou a devolução de uma caminhonete Toyota Hilux apreendida durante a Operação Quadro Negro, que pertence ao ex-presidente do antigo Cepromat (Centro de Processamento de Dados do Estado de Mato Grosso), Wilson Celso Teixeira, conhecido como “Dentinho”.

A Operação Quadro Negro foi deflagrada em 22 de outubro de 2019 pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) para apurar o desvio de quase R$ 8 milhões dos cofres do Estado em um esquema com a empresa Avançar Tecnologia em Softwares. 

Em janeiro deste ano, a juíza Ana Cristina Silva Mendes, também da 7ª Vara Criminal, recebeu a denúncia do Ministério Público de Mato Grosso contra o ex-governador Silval Barbosa, o empresário Valdir Piran, o ex-presidente do Cepromat, Wilson Celso Teixeira, o ex-diretor do Cepromat, Djalma Souza Soares, o ex-servidor Edevamilton de Lima Oliveira, o ex-secretário adjunto de Educação, Francisvaldo Pereira de Assunção, o ex-secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf, e também o empresário Weydson Soares Fonteles, dono da Avançar Tecnologia.

Ao analisar os autos do processo, o juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues verificou que a defesa de  Wilson Celso Teixeira estava pleiteando a restituição do veículo Toyota Hilux, cor branca, placa QBD-0560, aprendida em decorrência da Operação “Quadro Negro”. “Verifico que este Juízo já deferiu a restituição parcial dos bens apreendidos em decorrência à referida operação, inclusive o mencionado veículo de propriedade de Wilson Celso Teixeira”, escreveu o magistrado.

“Deste modo, verifico que o presente pedido perdeu o objeto, ante a decisão proferida nos autos (...), razão pela qual julgo prejudicado tal pleito”, apontou o magistrado, que intimou a defesa do requerente para informar a decisão.

LOUSAS DIGITAIS

Conforme o MPMT, os contratos do antigo Cepromat e a empresa Avançar Tecnologia supostamente teriam a finalidade de modernizar as salas de aulas das escolas públicas de Mato Grosso, com a compra e instalação de lousas digitais e de softwares necessários para a operação. Entretanto, segundo a denúncia, nenhum serviço foi realizado e o dinheiro foi gasto para quitar dívidas do ex-governador Silval Barbosa com o empresário Valdir Piran, que é dono de factorings.

Na denúncia, o MPMT pediu a condenação de Piran por peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e fraude à execução de contrato. Já o ex-governador Silval Barbosa responde a denúncia por peculato, Nadaf por lavagem de dinheiro e fraude à execução de contrato e Wilson Teixeira por peculato, lavagem de dinheiro e fraude à execução de contrato. 

O ex-adjunto da Seduc Francisvaldo foi denunciado por peculato, corrupção passiva e fraude à execução de contrato. Quanto aos ex-servidores do Cepromat Djalma e Edevamilton, eles foram acusados de peculato e fraude à execução de contrato.

Piran chegou a ser preso em Brasília, mas dois dias após a operação, no dia 24 de outubro, depois de passar por audiência de custódia, ele teve a prisão preventiva revogada pela juíza Ana Cristina Silva Mendes. A magistrada também revogou na ocasião as prisões de Wilson Teixeira, de Djalma Soares, de Francisvaldo Pereira de Assunção, e de Weydson Soares Fonteles. Na ocasião, a juíza decretou o bloqueio de R$ 10 milhões dos acusados para o ressarcimento do erário.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet