Imprimir

Imprimir Notícia

11 Jan 2019 - 11:24

Estudioso fala sobre discos voadores que já foram vistos em Barra do Garças

Estudioso de Ovnilogia, área que têm sido objeto de várias investigações ao longo dos anos por governos, grupos independentes e cientistas, Luciano Maehler ganha notoriedade em Mato Grosso desde que levanta pontos astutos sobre a existência de vidas extraterrenas no Espaço Sideral. Em entrevista ao  , Maehler fala sobre a região de Chapada dos Guimarães e Barra do Garças, zonas com muitos relatos de aparição de objetos não identificados. Em Barra do Garças, até um discoporto ganhou atenção de curiosos de todos os tipos. Ele conta o que acredita ser possível e lenda pela ótica da ciência e suas experiências pessoais com seres, literalmente, de outros mundos.

Confira os melhores trechos da entrevista:

Sobre quais temas já escreveu em relação à ufologia e vida além da Terra?

Escrevi sobre o histórico de avistamentos de Objetos Voadores Não Identificados (OVNIS) na região do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães e as inúmeras possibilidades de haver vida inteligente fora da Terra, principalmente após as descobertas de centenas de exoplanetas, ou seja, planetas fora do nosso sistema solar, feitas pela Sonda Kepler, lançada pela NASA em 2009.

Em Mato Grosso existem pontos, teoricamente, visados por visitantes de outros planetas. Pode falar sobre e se nisso existe algum fundamento científico?

Existem pontos em Mato Grosso cujo a incidência de relatos é notoriamente alta. Figuram no topo da lista cidades como Chapada dos Guimarães e Barra do Garças. Apesar de existirem centenas de relatos de testemunhas e de registro em fotografias e vídeos desses OVNIs e supostos seres alienígenas, ainda não se tem nenhum fundamento cientifico para explicar o porquê dessas aparições nessas localidades. Dando assim, margem para o surgimento das tão famigeradas teorias de conspirações.

Você já teve sinais ou teve contato com outras vidas além da Terra? Por que defende tão piamente a existência de outros seres?

Sim, ao longo da minha vida e de meus anos de pesquisas sobre o tema, tive alguns contatos e sinais que acredito não pertencerem a nada que tenha sido feito pela humanidade. Em meados de 2009, recebi a informação de um amigo de que ele teria observado um OVNI sobre a pista do aeroporto Marechal em um link ao vivo durante um telejornal local. Assisti ao vídeo depois e constatei de que não se tratava de uma aeronave de tecnologia terrestre e nem de um fenômeno atmosférico, restando apenas a opção de um OVNI mesmo. Nos dias seguintes ao ocorrido fui ao local fazer uma investigação in loco e pude presenciar o objeto pessoalmente, em uma segunda aparição. O Objeto tornou a aparecer novamente algumas vezes nos dias seguintes, mas não causou nenhum transtorno ao trafego aéreo. Observando que na época não existiam drones, pelo menos não em Cuiabá. O caso teve de ser arquivado devido à influência de força maior. Quando me perguntam o porquê defendo a existência de outros seres, eu gosto de citar uma frase de um cientista que na minha humilde opinião, foi uma das mentes mais brilhantes que já existiu que é Carl Sagan. A frase diz que a química que produz a vida é reproduzida facilmente por todo o cosmo. Se não existe vida fora da Terra, então o universo é um grande desperdício de espaço.

Em sua opinião, porque algumas pessoas tratam como piada a existência de alienígenas? 

O Ser Humano tende a hostilizar tudo aquilo que desconhece e ignora, e principalmente se o assunto em questão fere ou afronta aquilo que ele tem como sua verdade absoluta. Com a ufologia não seria diferente, a grande maioria das pessoas trata como piada a existência de alienígenas, por pura ignorância ou por afrontar suas convicções religiosas.

Acredita que as vidas fora daqui podem ser mais "evoluídas" ou avançadas tecnologicamente?

Sim acredito, pois se, como as evidências apontam, eles estão vindo até aqui de outros planetas, sistemas solares, galáxias ou talvez de outras dimensões, é possível. Eles são, pelo menos, mais avançados tecnologicamente quê nós. Afinal, nós, com toda o nosso avanço tecnológico, conseguimos chegar apenas no nosso satélite natural, a Lua.

Acredita que avanços da pesquisa nacional e internacional, quem sabe, possam ajudar em novas descobertas referentes ao universo?

Com certeza. Ao passo que evoluímos patologicamente e quê as pesquisas se beneficiam desta notória evolução, não é de se admirar se muito em breve possamos fazer descobertas relevantes.

Imprimir