Imprimir

Imprimir Notícia

12 Out 2019 - 09:32

Raoni agradece apoio para Nobel e diz que continuará lutando pelos indígenas

Indicado ao prêmio Nobel da Paz de 2019, que teve o resultado anunciado na manhã desta sexta (11), o cacique Raoni Metuktire agradeceu o apoio que recebeu. O indígena da etnia Caiapó tem 90 anos e é um dos símbolos da luta pela preservação da Amazônia e pela demarcação das terras dos povos originários.

“Eu vou continuar defendendo os direitos dos povos indígenas, defendendo o meio ambiente, defendendo a Amazônia e defendendo a vida”, disse na gravação. “Quero que vocês todos indígenas e não indígenas continuem lutando juntos”, disse em vídeo que circula nas redes sociais.

A torcida pela premiação de Raoni mobilizou as redes sociais há algumas semanas, depois das críticas feitas pelo presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) durante seu discurso na abertura da Assembleia-Geral da ONU, em Nova York, no fim de setembro. Os ataques ao líder indígena se prolongaram em ao menos duas falas do presidente nas semanas seguintes.

Além de dizer que o cacique não representa todos os povos indígenas do país, Bolsonaro afirma que Raoni é usado em nome de interesses de governos estrangeiros interessados na exploração da Amazônia. O líder Caiapó, reagiu pedindo que o presidente brasileiro deixe o cargo.

O primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed, foi laureado na cerimônia realizada em Oslo, na Noruega, por pacificar o conflito com a Eritréia. Entre os indicados também estavam o ex-presidente Lula e a ativista sueca Greta Tumbergh, de apenas 16 anos.

Imprimir