Imprimir

Imprimir Notícia

14 Dez 2019 - 10:06

2020 será o ano digital do agro, diz Gerhard Bohne

O uso de tecnologia na agricultura nunca foi tão intenso. A produção de alimentos tem sido transformada pelos avanços da ciência ao longo das últimas décadas. As inovações estão revolucionando a agricultura no Brasil e no mundo. O emprego de tecnologia na agricultura não é, exatamente, uma novidade para os agricultores. 

É preciso ter conhecimento para que o uso da tecnologia na agricultura cause impactos relevantes na quantidade e qualidade dos alimentos produzidos. O aumento da população global e a consequente pressão por mais comida tornam esse desafio urgente.

Durante encontro com a imprensa, o presidente da divisão Crop Science da Bayer no Brasil, Gerhard Bohne, ressaltou que uma das apostas da empresa é que o próximo ano seja o ano digital do agro – momento em que os agricultores perceberão a importância da adoção de tecnologias para novos avanços. “Para sermos competitivos em todos os negócios, é preciso olhar custos e produtividade, a agricultura digital vem otimizar a eficiência no custo, como na produtividade”. Com as tecnologias certas o agricultor consegue entender o que ocorre em sua propriedade e pode ir além dos números. 

O executivo ainda salientou que a plataforma FieldView, no seu segundo ano no Brasil em 2019, deve passar de 7 milhões de hectares, com 1,5 milhão de hectares em cana-de-açúcar. “O mercado de cana é carente de tecnologias, tanto digitais como de produtos. A produtividade está praticamente estagnada nos últimos anos.” 

Após completar seu primeiro ano de integração com a Monsanto, Bohne considera 2019 um ano favorável ao mercado agrícola, uma vez que a alta demanda por soja, milho e carnes e a desvalorização do real aumentaram a rentabilidade dos produtores. “A Bayer espera que 2020 seja um ano positivo, com exportações aquecidas de soja e milho e demanda firme por esses grãos para produção de carnes destinada à exportação”, declara Bohne. 

Imprimir