Imprimir

Imprimir Novidade

12.Nov.15 - 15:51

Galvão já fez ‘mutreta’ e trancou Argentina no vestiário em jogo com Brasil

 Brasil x Argentina é um jogo especial para os envolvidos com o futebol. E para Galvão Bueno não é diferente. Talvez seja ainda mais especial para o narrador da TV Globo, que não se cansa de repetir: “ganhar é bom, mas ganhar da Argentina é muito melhor''. O curioso disso é que, para a estrela global, justamente o duelo mais marcante entre as seleções não foi uma vitória brasileira.

Para Galvão, nenhum triunfo ou título sobre os hermanos ficou tão guardado na memória como o duelo válido pela Copa América de 1991 (no Chile) , que ganhou até capítulo especial em sua biografia lançada neste ano. A derrota por 3 a 2 acabou sendo o menos marcante. A “mutreta'', nas palavras dele, durante o intervalo foi o que ficou na história.

Comandando a 'operação' da cabine, Galvão Bueno deixou um diretor da Globo na porta do vestiário prendendo a seleção argentina antes da volta do segundo tempo. Tudo porque a emissora precisava dar mais tempo para o Jornal Nacional, que seria transmitido no intervalo do jogo.

“Foi uma coisa de louco. Lembro que os argentinos chutavam a porta e xingavam muito. No fim, nem adiantou. Mesmo com o tumulto, eles chegaram e venceram. Hoje não teria nem como fazer isso. Os tempos são outros. Nem temos acesso praticamente, e não há essa coisa de uma chave apenas trancando'', recordou o narrador.

O plano foi tramado na noite anterior à partida, no saguão do hotel onde estavam hospedados Galvão, o diretor de transmissões da Globo, Marco Mora, e o então presidente da Associação de Futebol da Argentina (Afa), Júlio Grondona.

A tabela apontava Brasil x Argentina como preliminar do jogo entre Chile x Colômbia – ambos os jogos aconteceriam no Estádio Nacional de Santiago. O horário atrapalhou a Globo, que teria que encurtar duas novelas e transmitir o seu principal telejornal no intervalo. Mas a direção da emissora não estava satisfeita, queria mais tempo para o “JN''. Então Galvão e Mora trataram de dar um jeito.

Os dois foram até Julio Grondona e perguntaram se a equipe rival poderia esperar um pouco para retornar do intervalo. O mandatário da AFA disse que o treinador [Alfio Basile] não toparia, mas deu a sugestão: ele trancaria a porta do vestiário e a dupla da Globo resolveria a hora de abrir. Feito. Galvão e Mora conseguiram segurar os hermanos presos por cerca de quatro minutos, tempo suficiente para a exibição do jornal.

“Com doze minutos de intervalo já estava uma gritaria no vestiário, com gente chutando a porta. Isso é inédito: eu fiquei na cabine recebendo o retorno de áudio do Jornal Nacional e quando o Cid Moreira [apresentador] entrou com as últimas notícias, eu gritei para o Marco Mora: 'solta''', contou Galvão em seu livro.

Nesta quinta-feira, não será necessária nenhuma “mutreta''. A TV Globo transmitirá o jogo em seu horário normal de futebol: 22h. Galvão Bueno e sua equipe farão a transmissão da partida válida pela terceira rodada das Eliminatórias direto do estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires.

Imprimir