Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 2 de Março de 2021

1 1
:
0 0
:
3 8

Últimas Noticias

Notícias / Cidades

16 Jan 2021 - 09:20

Taxa de infecção para Covid-19 entre adolescentes e jovens foi a que mais cresceu em Cuiabá

Fabiana Mendes

: Rogério Florentino / Olhar Direto

 (Crédito: : Rogério Florentino / Olhar Direto)
O risco de infecção para Covid-19 é maior entre os mais jovens na capital mato-grossense. Desde 18 de julho de 2020, a taxa de idosos aumentou cerca de 303%, enquanto a de crianças 702%, de adolescentes, 1.012% e de jovens (20 a 29 anos), 744%. Os dados são do Informe Epidemiológico da Prefeitura de Cuiabá. Entre os casos confirmados da doença de residentes em Cuiabá (42.525), prevalece o sexo feminino (54,9%), tendo, desde o início da pandemia apresentado a maior frequência; 228 eram gestantes (1,0%).

A idade média é 41,2 anos, sendo 25,5% dos casos registrados entre adultos de 30 e 39 anos. O grupo de 20 a 49 anos concentra 64,9% dos casos; idosos representaram 14,3% (6.098); E crianças e adolescentes (0 a 19 anos) 6,4%. A distribuição etária apresenta proporções semelhantes entre os sexos, com pequena diferença para os grupos de 20 a 29 anos e acima de 60.

Pouco mais da metade dos indivíduos internados era do sexo masculino (53,4%) e entre as mulheres (1.732), 4,6% eram gestantes (80). A média de idade foi de 56,0 anos e mediana 57 anos; os idosos representam 44,2% das internações e crianças/adolescentes somente 2,0%, com distribuição semelhante entre os sexos, tendo a maior diferença sido verificada nos grupos de 40 a 49 anos e 80 anos.
 
Aumento na média de mortes

Cuiabá teve um aumento significativo no número de mortes diárias e a média saiu de 1,7 óbitos/dia para 6,0 óbitos/dia. Desde o primeiro óbito por Covid-19 em residentes de Cuiabá (15 de abril de 2020) até 09 de janeiro de 2021, foram registradas 1.221 mortes resultando em taxa de letalidade de 2,9%.

Esse índice tem se mantido com pequenas variações desde a semana entre 30 de agosto a 05 de setembro, e permanece pouco mais elevada que a de Mato Grosso (2,5%)2 e que a do Brasil (2,5%).

A taxa de mortalidade, que mede o risco de morte na população cuiabana (195,7/100.000 habitantes) foi superior à taxa do estado (133,7) e mais que o dobro da taxa de mortalidade do país (96,4).

Desde o início de dezembro o número de óbitos, que se encontrava em declínio desde outubro, aumentou consideravelmente. A média de óbitos das últimas quatro semanas foi de 28,5 óbitos/semana, enquanto nas quatro semanas anteriores, a média foi 9,0 óbitos/semana.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet