Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 5 de Março de 2021

0 3
:
5 5
:
3 6

Últimas Noticias

Campanha Publicitária

Notícias / Política

18 Jan 2021 - 17:50

Governador só assinará eventual aposentadoria de Teis com parecer favorável da PGE

Airton Marques

Michel Alvim

 (Crédito: Michel Alvim)
O caminho para o conselheiro afastado Waldir Teis se aposentar no Tribunal de Contas (TCE-MT) pode enfrentar percalços. Após recomendação do Procurador-Geral de Justiça, José Antônio Borges, para que a corte não aposente conselheiros afastados, o governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que só irá assinar o ato de aposentadoria caso haja parecer favorável da Procuradoria Geral do Estado (PGE).“Grande parte das minhas decisões são técnicas, fundamentadas nos princípios da administração pública e de pareceres da Procuradoria Geral do Estado que analisa o âmbito da legalidade. Uma decisão desse cunho passa, necessariamente, por uma análise da pertinência e legalidade desse ato que eventualmente será praticado”, disse durante conversa com a imprensa nesta quarta-feira (13), no Palácio Paiaguás.

O pedido de Teis foi protocolado no dia 16 de dezembro e ainda está na Secretaria Executiva de Gestão de Pessoas. Na segunda-feira (18), o documento deve ser encaminhado ao presidente do TCE-MT, conselheiro Guilherme Maluf, antes mesmo de a Consultoria Jurídica analisar o caso e emitir um parecer. É na Presidência do órgão que a minuta do ato de aposentadoria é elaborada para ser encaminhada ao governador.

Na recomendação ao TCE-MT, o chefe do Ministério Público Estadual (MPE) afirma que a impossibilidade de concessão de aposentadoria voluntária aos conselheiros encontra fundamento em resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pelo qual “o magistrado que estiver respondendo a processo administrativo disciplinar só terá apreciado o pedido de aposentadoria voluntária após a conclusão do processo ou do cumprimento da penalidade”.

Borges ainda lembra o pedido de aposentadoria de outro afastado, Antônio Joaquim. Em 2017, o conselheiro enfrentou embate jurídico com o então governador Pedro Taques (Solidariedade), que não aposentou Antônio Joaquim, após decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). Na época, a negativa gerou polêmica e o conselheiro acabou judicializando o caso e, posteriormente, desistindo do pedido após seis meses de espera.

A questão da legalidade ou não da aposentadoria pode enterrar as articulações políticas para a escolha de um substituto. A vaga é de indicação da Assembleia Legislativa e lá, os deputados já se articulam para conquistar a cadeira. Mesmo negando que tenha interesse, o presidente Eduardo Botelho (DEM) é o nome mais forte nessa corrida que começou antes do início.

Afastados

Por determinação do STF, Teis, Antônio Joaquim, Valter Albano, José Carlos Novelli e Sérgio Ricardo de Almeida foram afastados. Albano foi o único a conseguir reintegração.

Os membros do TCE são investigados pela prática de corrupção passiva no exercício da função pública. A imputação da prática do crime de corrupção passiva se deu em razão de fatos ocorridos em 2014, com o suposto pagamento de propina na aprovação de obras públicas de interesse do executivo estadual.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet