Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 23 de Abril de 2021

1 1
:
0 9
:
4 8

Últimas Noticias

Notícias / Polícia

21 Jan 2021 - 08:20

Emanuel diz que é impossível Mendes enviar R$ 400 milhões do VLT para outros municípios

Max Aguiar

Reprodução:

 (Crédito: Reprodução:)
O embate entre o governador do estado, Mauro Mendes (DEM), e o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), está cada vez mais longe de ter um fim. Quem achava que após a eleição haveria uma trégua, errou. Desta vez é a mudança do VLT para BRT que está causando o maior bate-boca entre os políticos. Diante da resistência de Pinheiro em aceitar o projeto do governo, Mendes disse que poderia destinar o dinheiro a ser investido na capital para outros municípios. Emanuel afirmou que tal possibilidade é impossível de ser realizada. Em entrevista remota concedida ao site Mídia News, o governador disse que se o prefeito não aceitasse a troca, ele pegaria os R$ 400 milhões, que é dinheiro para investimento na mobilidade urbana da região metropolitana, e dividiria em investimento para as 141 cidades de Mato Grosso.

“Se o prefeito formalmente escrever uma carta e dizer que não quer o BRT - o VLT não vai ter -, não tem problema. Ele assume esse ônus e eu pego os R$ 400 milhões e envio para os 140 municípios. Vamos fazer esse investimento em outro lugar”, disse o governador.

Emanuel Pinheiro reagiu rápido. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira (20), no Centro de Vacinação de Cuiabá, no espaço do Centro de Eventos do Pantanal, o prefeito disse que Mendes não pode fazer isso, tendo em vista que se o valor não for utilizado em Cuiabá e Várzea Grande para mobilidade urbana, o montante precisa devolvido ao Governo Federal.

“O governador ontem disse que se eu não optasse pelo VLT ele pegaria os 400 milhões e dividiria entre os municípios. Não pode, é do Pró-Transportes, é exclusivo para mobilidade urbana da baixada cuiabana, decidido lá na época da Copa. Se não vingar o projeto, esse dinheiro precisa ser devolvido para o Governo Federal. Até porque ele é da Caixa, então eu não sei porque o governador fica utilizando o expediente para jogar a população contra o gestor de Cuiabá”, respondeu Emanuel.

Na época que os R$ 400 milhões foram colocados nos cofres do Estado para serem injetados em obras da capital e VG, Emanuel Pinheiro era deputado estadual. Desde aquela época, ele já defendia a construção dos trilhos para o Veiculo Leve sobre Trilhos (VLT).

Emanuel frisa que o investimento feito pelo Governo Federal é para mobilidade e não para ser fatiado entre os municípios. “O recurso só pode ter uma utilização: obras de mobilidade urbana do programa Pró-Transportes financiado pelo Governo Federal, exclusivamente para o VLT. Não pode fazer ponte, não pode comprar ônibus para andar de Jangada a Acorizal. Com dinheiro próprio ele [Mauro Mendes] pode utilizar onde quiser. Mas dinheiro da Copa não pode”, concluiu o prefeito.

Desaforo

Ainda na coletiva, o prefeito mostrou ser irredutível quando o assunto é discutir o modal com o governador Mauro Mendes. Pinheiro disse aos jornalistas que não irá conversar “sobre algo que já foi decidido”.

“Até agora não teve nenhuma disposição de diálogo e vieram me chamar depois que está decidido para dizer que Emanuel não quer conversas. Preciso que vocês entendam. Não é que não quero dialogar, mas é um desaforo com Cuiabá”, asseverou o prefeito.

Haverá uma reunião técnica para tratar sobre a implantação do BRT na sexta-feira (22), no Palácio Paiaguás. Emanuel disse que não irá, mas avalia a possibilidade de seu vice, José Roberto Stopa (PV), estar presente.

“Nunca fomos procurados, estamos esperando há tanto tempo para esperar dois anos de mandato e ser anunciado desta forma. Mas, nessa reunião o Stopa vai. Não tenha dúvidas de que o que ele [Stopa] falar, vai ser honrado. Isso não tem qualquer problema”.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet