Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 2 de Março de 2021

1 0
:
4 0
:
3 2

Últimas Noticias

Notícias / Polícia

25 Jan 2021 - 18:20

STF nega recurso de empresário condenado por mandar matar jovem encontrada na Ponte de Ferro

Vinicius Mendes

Rogério Florentino / Olhar Direto / Reprodução

 (Crédito: Rogério Florentino / Olhar Direto / Reprodução)
O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um recurso de Rogério Silva Amorim e de Carlos Alexandre da Silva Nunes. Os dois são o mandante e o executor, respectivamente, da adolescente Maiana Mariano Vilela, morta em dezembro de 2011. O magistrado considerou o recurso inviável.Carlos Alexandre da Silva Nunes chegou a ser absolvido pelo Tribunal do Júri, mas em fevereiro de 2018 o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) anulou a sentença. Já o empresário Rogério Silva Amorim, o mandante, foi condenado a 20 anos e 3 meses em regime fechado. Ele tinha um relacionamento com a vítima.
 
Os dois entraram com um recurso extraordinário com agravo junto ao STF, porém o ministro Marco Aurélio entendeu que não se trata de decisão de última instância. Por considerar a inviabilidade do recurso ele o desproveu. A decisão é do dia 20 de janeiro.
 
“O acórdão proferido pelo Colegiado de origem diz respeito à atuação individual do relator no Superior Tribunal de Justiça. Assim, o extraordinário não se enquadra no permissivo do inciso III do artigo 102 da Constituição Federal, que estabelece a competência do Supremo para examinar, mediante o citado recurso, as causas decididas em única ou última instância, quando o pronunciamento recorrido contrariar dispositivo constitucional, declarar a inconstitucionalidade de tratado ou lei federal ou, ainda, julgar válida lei ou ato de governo local contestado em face da Constituição Federal”.
 
O caso
 
A estudante desapareceu na tarde do dia 22 de dezembro de 2011 quando saiu de moto para descontar um cheque de R$ 500 numa agência bancária situada no CPA. O banco confirmou que o cheque foi descontado.
 
No dia 25 de maio de 2012 o corpo da jovem foi localizado enterrado em uma cova rasa, no meio da mata, próximo a uma estrada de chão, na região da Ponte de Ferro, no Coxipó do Ouro, em Cuiabá.
 
Além de Rogério Silva Amorim e Calisangela de Moraes, ex-mulher dele, também foram indiciados e presos Paulo Ferreira e Carlos Alexandre Nunes Silva, por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.
 
Paulo confessou que matou a adolescente asfixiada com um pano na boca e com ajuda de Carlos Alexandre transportou o corpo até a região de Coxipó do Ouro, utilizando o próprio carro, um veículo Fiat Uno cinza, que revendeu depois. Foi ele inclusive quem levou a polícia até o local onde estava o corpo da menor.
 
A Polícia Civil apurou que os mandantes do crime foram o empresário Rogério Silva Amorim (que namorava a vítima) e sua ex-esposa Calisângela de Moraes. Ambos montaram uma armadilha para a garota.
 
Foi ele quem mandou a namorada descontar um cheque em uma agência bancária para pagar o caseiro de uma fazenda. Esta foi a última vez que Maiana foi vista em público, no banco. Segundo a Polícia Civil, Paulo Ferreira e Carlos Alexandre Nunes da Silva teriam recebido R$ 2,5 mil cada um pelo assassinato da menor.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet