Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 22 de Junho de 2021

0 1
:
3 8
:
4 3

Últimas Noticias

Notícias / Economia

10 Mai 2021 - 08:21

Justiça condena construtora por não entregar apartamento para clientes em MT

Construtora Lopes foi julgada “à revelia” em processo e terá que devolver R$ 102 mil

DIEGO FREDERICI

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
A juíza da 5ª Vara Cível de Cuiabá, Edleuza Zorgetti Monteiro da Silva, determinou a restituição de mais de R$ 102,7 mil (acrescidos de juros e correção monetária), a dois clientes que adquiriram um apartamento na Capital, e que não foi entregue na data estipulada em contrato. A decisão é do último dia 20 de abril.

De acordo com informações do processo, os dois clientes firmaram um contrato com a Construtora Lopes, no ano de 2014, para adquirir um apartamento no Condomínio The First, localizado próximo ao Centro Político da Capital. O acordo previa o pagamento inicial de R$ 70,4 mil, além de uma parcela de R$ 154,2 mil na entrega das chaves do imóvel.Os clientes, entretanto, reclamam que a obra atrasou e chegou até mesmo a paralisar. Eles contam que procuraram a Construtora Lopes para um desfecho amigável do acordo – sem sucesso.

“Os requeridos se comprometeram a entregar a obra no prazo estipulado, no entanto, até a presente data o empreendimento não fora entregue estando a obra em atraso e paralisada. Afirmam que tentaram solucionar o impasse amigavelmente, porém, sem êxito”, diz trecho dos autos.

Thank you for watching

A Construtora Lopes não apresentou contestação aos fatos, nem cumpriu as determinações processuais durante o trâmite da ação, o que a fez ser julgada à revelia. A juíza Edleuza Zorgetti Monteiro da Silva concordou com os argumentos dos clientes, dizendo que eles conseguiram comprovar nos autos o prejuízo.

“Observa-­se pelo relatório dos valores pagos que os autores lograram êxito em comprovar a referida compra e os fatos alegados na inicial, por meio dos documentos anexados, evidenciando, assim, a contratação dos serviços das empresas requeridas, no intuito de ser entregue o imóvel na data avençada, sendo presumido como verdadeiras as mencionadas alegações de que as requeridas não cumpriram com o negócio entabulado, ante a revelia no feito”, analisou a juíza.

Além da devolução dos valores já pagos pelo imóvel, os clientes também exigiram nos autos uma indenização por danos morais. A magistrada, entretanto, negou o pedido, entendendo que o “singelo inadimplemento contratual não dá azo à indenização por danos morais”.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet