Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Domingo 23 de Janeiro de 2022

1 3
:
1 8
:
5 6

Últimas Noticias

Notícias / Política

1 Jun 2021 - 15:30

STF nega reclamação e mantém delegado proibido de criticar MP em artigos

Flávio Stringuetta escreveu textos opinativos contra compra de celulares para promotores e procuradores

DIEGO FREDERICI

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
O Supremo Tribunal Federal (STF) manteve o delegado da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso (PJC/MT), Flávio Stringueta, proibido de criticar o Ministério Público do Estado (MPMT). Em decisão publicada na última segunda-feira (31 de maio), o Ministro do STF, Edson Fachin, negou o seguimento de uma reclamação ingressada pelo delegado da PJC contra uma decisão do Poder Judiciário de Mato Grosso que já havia estabelecido a “censura”.

A publicação do STF informando a decisão de Edson Fachin é sucinta, e diz apenas que a reclamação do delegado da PJC contra a proibição de criticar o órgão ministerial mato-grossense fere o regimento interno da Corte Suprema.

Flávio Stringueta responde a um processo por “calúnia, injúria e difamação”, ajuizada pelo MPMT, por conta de artigos de opinião escritos pelo delegado da PJC que apontam “imoralidades” do órgão.

O pano de fundo da briga é uma licitação do MPMT para a compra de 400 aparelhos smartphones ao custo de R$ 2,2 milhões, dos quais 201 serão Iphones que custarão R$ 1,6 milhão, medida durante criticada pelo delegado nos artigos publicados na imprensa. Cada unidade do “badalado” smartphone da Apple custou aos cofres públicos R$ 8,3 mil.

Thank you for watching

A “rusga” envolvendo o órgão ministerial e o delegado da PJC teve seu estopim quando Stringueta escreveu um artigo de opinião intitulado “O que importa nessa vida?”. A maior parte dos veículos de comunicação de Mato Grosso publicaram o texto, no dia 1º de março de 2021.

“Semanas atrás, o Brasil inteiro foi surpreendido com várias publicações dizendo que cada promotor de ‘justiça’, receberia um smartphone de última geração, ou quase última, já que a tecnologia muda constantemente, e já mudou. Virou notícia, e vergonha, nacional. O que se esperaria dos promotores, ou seus líderes, ou do inconsequente idealizador desse absurdo? Que não tivessem feito. E, como já tinham feito, que pedissem desculpas à sociedade pelo erro e sumissem de cena”, disparou o texto escrito pelo delegado, que continua.

“E acrescento: não existe instituição mais imoral que o MPE/MT, que senta na própria moralidade e fala das ilegalidades das outras instituições. Serei processado por isso. Eu sei. E até espero que sim. Pois, assim. Poderei abrir as entranhas desse instituição MPE e, por consequência, talvez, o judiciário. Deus nos proteja”.

Stringuetta ainda fez outros artigos criticando do MPMT e também concedeu entrevistas explicando o artigo.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet