Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Terça-feira 22 de Junho de 2021

0 2
:
2 8
:
5 3

Últimas Noticias

Notícias / Geral

11 Jun 2021 - 08:13

Governo vê momento estável em MT e avalia ajudar o MS

Secretário diz que Estado passa por 3ª onda ainda controlável, mas não vê momento confortável

Mídia News

Mesmo com ocupação de 84% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva destinados para a Covid-19, o Governo de Mato Grosso avalia o cenário atual da pandemia no Estado como uma fase de estabilidade e estuda a possibilidade de ajudar Mato Grosso do Sul, que enfrenta um colapso no sistema de saúde.
 
De acordo com o secretário de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo, o número de casos e mortes em Mato Grosso está dentro da variação média.
 
“Não existe momento bom para a pandemia. Existe momento mais desconfortável ou menos desconfortável. Nós estamos em uma fase de estabilidade”, avaliou.
 
Segundo Figueiredo, a demanda por ajuda existe e está sendo tratada com o governador Mauro Mendes. Ele ressaltou que por se tratar de um Sistema Único de Saúde (SUS), Mato Grosso não pode se furtar a ajudar se houver possibilidade, assim como socorreu o Estado do Amazonas, meses atrás.
 
“Infelizmente, Mato Grosso do Sul já colapsou”, lamentou.
 
Terceira onda
 
Na avaliação do secretário, é difícil estabelecer se Mato Grosso já enfrenta uma terceira onda da Covid-19. O Estado, que semanas atrás havia registrado queda no número de casos e mortes, voltou a apresentar curva ascendente no número de notificações positivas.
 
Conforme Figueiredo, a população vive “onda dentro de ondas”.
 
“Acho que nós não vamos ter só uma terceira onda. Vamos ter uma terceira, quarta onda, depende. O que é ruim é a proporção da onda. Nesse momento, se nós estamos numa terceira onda, é uma terceira onda ainda controlável”, afirmou.
 
“Ela não extrapolou o nosso sistema de oferta de assistência na área da saúde. Torcemos pra que isso não aconteça. Estamos trabalhando para ampliar os leitos de UTI, para melhorar nossas estruturas, hospitais e leitos de enfermaria, e vamos torcer para que ela não vá além daquilo que já está”, completou.
 
Figueiredo voltou a salientar que o Estado apenas enfrentará uma trégua quando a maior parte da população estiver vacinada, uma vez que as curvas da pandemia seguem o comportamento da sociedade.
 
“As ondas estão muito relacionadas ao comportamento da população. É uma doença infecciosa que trabalha de acordo com o contato que as pessoas mantêm”, explicou.
 
“Quando você fecha a circulação de pessoas, a onda desce. Quando você flexibiliza tudo, volta ao normal, a onda cresce. É natural. Enquanto não imunizar 70% da população, nós vamos ter várias ondas”, concluiu.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet