Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Quarta-feira 8 de Dezembro de 2021

0 6
:
0 5
:
2 3

Últimas Noticias

Enquete

Na Sua opinião você é a favor ou contra a realização do carnaval em fevereiro de 2022

Notícias / Judiciário

8 Jul 2021 - 08:58

TJ nega liberar bens de grupo liderado por empresário foragido

Eder Pinheiro está sendo procurado desde maio, quando a Justiça determinou sua prisão

Mídia News

O Tribunal de Justiça negou recurso do Grupo Verde Transportes e manteve o bloqueio de bens das empresas para pagar dívidas fiscais com o Estado.
 
A decisão foi tomada pela Turma de Câmara Cíveis Reunidas de Direito Público e Coletivo, na última semana.
 
O Grupo Verde tem como sócio-proprietário o empresário Eder Pinheiro, que foi alvo de um mandado de prisão na terceira fase da Operação Rota Final, em maio, e é considerado foragido da Justiça.
 
No recurso, as empresas que compõem o grupo (Verde Transportes Ltda, Áries Transportes Ltda-ME, Viação Eldorado Ltda, TIM – Transportes Integrados Matogrossenses Eireli – EPP) alegaram que os bens não poderiam ser bloqueados pela Vara Especializada de Execução Fiscal de Cuiabá tendo em vista que se encontram em recuperação judicial.
 
Para o grupo, apenas a 1ª Vara Cível de Cuiabá, responsável pelo processo da recuperação judicial, pode decidir ou não sobre as constrições do patrimônio das empresas.
 
Em seu voto, a desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos concordou que a realização de atos constritivos por outro juízo que não o da recuperação judicial pode inviabilizar a reestruturação da empresa.
 
Por outro lado, manteve os bloqueios e remeteu o caso para a 1ª Vara Cível de Cuiabá por entender que somente esse juízo pode decidir sobre as constrições.
 
“Com estas considerações, em consonância com o parecer ministerial, julgo parcialmente procedente o presente conflito e declaro competente o Juízo da 1ª Vara Cível da Comarca de Cuiabá, para apreciar todos os atos de constrição referentes ao patrimônio dos Suscitantes, mantendo-se, entretanto, os bloqueios já realizados, visto que competirá ao Juízo Universal deliberar sobre as constrições”, diz trecho do voto.
 
O voto da relatora que foi seguido pela unanimidade da turma julgadora.
 
A Rota Final
 
A Rota Final apura um suposto esquema de monopólio no transporte intermunicipal em Mato Grosso. Pinheiro é acusado de ser o líder do esquema. Ele chegou a ser preso na 1ª fase da operação, em 2018.
 
Com o pagamento de propina, segundo o Ministério Público Estadual (MPE), as empresas que possuíam contratos precários - e que cobravam valores abusivos nas passagens - operaram livremente durante anos no Estado.
 
Além de Eder Pinheiro, também foram alvos da terceira fase o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros de Mato Grosso (Setromat), Júlio Cesar de Sales Lima, o ex-deputado estadual Pedro Satélite, o deputado estadual Dilmar Dal'Bosco e a assessora parlamentar Cristiane Cordeiro.
 

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet