Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 27 de Setembro de 2021

1 1
:
0 3
:
0 8

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Política

22 Jul 2021 - 14:31

Tarcísio garante que entrave da Ferrogrão não impediu investimentos da União para infraestrutura de MT

PROJETO VIÁVEL

Da Redação - Airton Marques

Mayke Toscano

 (Crédito: Mayke Toscano)
Apesar dos entraves jurídicos e críticas de ativistas ambientais, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Oliveira, afirma que a Ferrogrão é um empreendimento viável que o governo federal continua se esforçando para tirar o projeto do papel, pois grupos econômicos continuam demonstrando interesse no modal, que está barrado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

A ideia da ferrovia que ligará Sinop até o Porto de Miritituba, no Pará, foi lançada há pelo menos sete anos pela iniciativa privada e é de interesse de multinacionais como ADM, Cargill e Amaggi. Tarcísio, no entanto, garante que apesar de o projeto estar parado, o governo federal continuou investindo em alternativas para o escoamento da crescente produção agrícola de Mato Grosso.

“A gente está fazendo o esforço necessário, conscientizando que a Ferrogrão é um projeto importante. Não deixamos de fazer a pavimentação da BR-163 em função da Ferrogrão, assim como não deixamos de fazer a concessão dessa rodovia. Não deixamos de modelar a BR-364 sentido Rondônia, a dragagem do Rio Madeira. Não deixamos de fazer a Fico em função da Ferrogrão e, sequer, nos opomos. Na verdade, se o governo de Mato Grosso não fizesse a autorização estadual, nós faríamos a autorização federal para a extensão da Ferronorte. Nada deixou de ser feito em função da Ferrogrão”, garantiu o ministro em live promovida pelo jornal Valor Econômico, nesta terça-feira (20).

Tarcísio também destacou que tudo o que o governo investir para a infraestrutura de Mato Grosso será pouco, devido ao fato de a produção agrícola do estado estar em plena expansão. Segundo ele, quando a Ferrogrão começou a ser discutida, o estado produzia 50 milhões de toneladas. Montante que está hoje em 70 milhões de toneladas e deve chegar a 120 milhões de toneladas em 2030.

“Continuamos trabalhando nesse projeto, pois encontramos reverberação no mercado. Se não tivéssemos encontrando eco e interagindo com grupos que demonstram interesse, não estaríamos gastando energia com a ferrovia. Não gasto energia com projetos que não tem a menor possibilidade de sair”, disse.

“Temos um grande grupo que conhece a região e está estudando detidamente a Ferrogrão. Se esse grupo tivesse falado para nós que não tem interesse, já teríamos abandonado. A gente tem que fazer os projetos que estão ao nosso alcance”, pontuou.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet