Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 17 de Setembro de 2021

1 5
:
2 9
:
2 9

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Política

23 Jul 2021 - 09:10

Ex-governador vai ao regime aberto e se livra de tornozeleira em MT

Agora, o ex-governador só precisa comparecer mensalmente ao Fórum de Cuiabá

WELINGTON SABINO

Reprodução

 (Crédito: Reprodução)
Também não precisa mais usar tornozeleira eletrônica. Colaborador da justiça desde 2017, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) homologou a delação premiada no âmbito da Operação Ararath da Polícia Federal, ele vinha cumprindo pena no regime semiaberto e precisava de autorização judicial para algumas situações, como por exemplo, deixar Cuiabá.

Agora, ele só precisa comparecer mensalmente em juízo. “Com fundamento no artigo 382 do CPP, admito e acolho a pretensão recursal, a fim de fixar como única condição para o cumprimento de pena em regime aberto diferenciado, a saber: o comparecimento mensal em Juízo”, diz o despacho do magistrado ao acolher um recurso de embargos de declaração interposto pela defesa.

O questionamento do advogado Valber Melo, que faz a defesa do ex-governador, foi em relação à decisão que concedeu a progressão regimental ao aberto para a Justiça fixar como única condição ao cumprimento de pena no regime aberto o comparecimento mensal.

Esse pedido foi acolhido pelo magistrado

No despacho, o juiz Leonardo Pitaluga também mandou expedir ofício ao cartório do 1º Ofício da comarca de Peixoto de Azevedo, solicitando que o ex-govenador responda de forma objetiva quais documentos ainda estão pendentes para transferência de um imóvel que pertencia a ele.

O prazo máximo concedido é de cinco dias.

“Após a juntada da resposta ao ofício, determino a intimação dos colaboradores Silval da Cunha Barbosa e Antônio da Cunha Barbosa Filho para que forneçam os documentos necessários para realização da transferência da propriedade, também no prazo de 05 dias”, despachou o magistrado.

Silval Barbosa estava no semiaberto desde maio de 2019, ano em que conseguiu decisão favorável para retirar a tornozeleira eletrônica que o monitorava desde que deixou o CCC, em junho de 2017.

O acordo de delação premiada homologado pelo Supremo em 2017 previa que ele cumprisse três anos e seis meses em regime domiciliar diferenciado com uso de tornozeleira, outros dois anos e seis meses no regime semiaberto, com tornozeleira e recolhimento em casa das 22h às 6h e o restante no regime aberto diferenciado, sem tornozeleira.

Nesse caso, Silval agora passou a cumprir essa última etapa da pena prevista no acordo.

Em dezembro de 2017 o ex-governador foi condenado 13 anos e 7 meses de prisão por chefiar uma organização criminosa que desviou mais de R$ 2,5 milhões dos cofres públicos por meio da concessão fraudulenta de incentivos fiscais a empresários através do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic).

Os fatos foram investigados na primeira fase da Operação Sodoma em setembro de 2015 quando ele foi preso e passou quase 2 anos detido no Centro de Custódia da Capital (CCC)  até fazer acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF), homologado em agosto de 2017 pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF). A família Barbosa devolve cerca de R$ 100 milhões ao erário público.
 

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

 
Sitevip Internet