Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sexta-feira 24 de Setembro de 2021

1 3
:
1 1
:
5 7

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Geral

10 Abr 2014 - 16:18

TRF manda soltar mais um investigado em operação da PF

Representante de empresa passou 4 dias preso; Polícia investiga suposto esquema

Mídia News

 O Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) mandou a Polícia Federal soltar José Mendes de Rezende, mais um investigado da Operação Fidare, deflagrada no dia 1º deste mês, em Cáceres (225 km a Oeste de Cuiabá). A decisão foi publicada na tarde de quarta-feira (9).

Na semana passada, o TRF já havia concedido habeas corpus para dois funcionários públicos acusados de integrar um suposto esquema de desvio de dinheiro da Saúde Pública no Município.

Rezende tinha mandado de prisão preventiva emitido pela PF e passou quatro dias preso na unidade da Polinter, em Cuiabá.

Ele estaria viajando quando a operação foi deflagrada, tendo se apresentado na Superintendência da PF na última sexta-feira (4).

Rezende é acusado de envolvimento em um suposto esquema que teria desviado R$ 2,5 milhões de verbas públicas federais destinadas a três programas federais de Saúde de Cáceres, entre os anos de 2011 e 2013, durante a gestão do ex-prefeito Túlio Fontes (PSB).

De acordo com o advogado Vinícius Segatto Jorge da Cunha, seu cliente era representante de algumas das empresas investigadas pela PF pela participação em processos licitatórios supostamente fraudulentos, para fornecimento de medicamentos para a atenção básica de Cáceres.

“Ele apenas representava algumas empresas. Não há anda que pese diretamente contra ele. A prisão foi arbitrária. Tanto é que o pedido de ‘habeas corpus’ foi concedido em menos de 12 horas”, afirmou.

No processo de investigação da PF, Rezende responde por formação de quadrilha ou bando.

Prisões e solturas

Ao todo, durante a operação, foram expedidos 47 mandados de prisão - 30 preventivas e 17 temporárias – além de 13 ordens para conduções coercitivas e 53 mandados de busca e apreensão.

Além de Rezende, outras duas pessoas já foram liberadas pela Justiça: os servidores públicos Jaqueline Souto Faria Navarro e Marcelo Soares Fedrizzi.

O TRF-1 também agiu em favor de uma terceira investigada, a estudante Lo Ruama Soares Fedrizzi, que teve o pedido de contramandado de prisão preventiva expedido no início da semana.

 
Sitevip Internet