Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 27 de Setembro de 2021

1 0
:
5 0
:
5 0

Últimas Noticias

Enquete

Como você pretende investir o seu dinheiro nos próximos anos?

Notícias / Covid- 19

3 Ago 2021 - 10:22

Esquema teria desviado dinheiro para combate à Covid em Cuiabá

PF investiga suspeita de formação de quadrilha e corrupção com verbas recebidas por Emanuel Pinheiro

Agência da Notícia com Redação do Mídia News

Agência da Notícia com Reprodução

A Operação Curare cumpriu 21 mandados de busca e apreensão em Cuiabá, Curitiba (PR) e Balneário Camboriú (SC). (Crédito: Agência da Notícia com Reprodução)

A Operação Curare cumpriu 21 mandados de busca e apreensão em Cuiabá, Curitiba (PR) e Balneário Camboriú (SC).

O Governo Federal  já destinou à Prefeitura de Cuiabá mais de R$ 156 milhões para o combate da Covid-19, que já matou mais de 550 mil pessoas no Brasil e 3.199 somente em Cuiabá.

Parte desse dinheiro, segundo a Polícia Federal, pode ter sido desviada por um esquema de corrupção na gestão do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). 

As denúncias constam na Operação Curare, que foi deflagrada na última sexta-feira (30), e apura as reiteradas contratações emergenciais ilegais de empresas para prestar serviços na área de saúde, contrariando a Lei de Licitações.

No total, as 6 empresas investigadas receberam R$ 45 milhões em pagamentos por contratos emergenciais, ou seja, sem licitação.

A Polícia Federal investiga a suspeita de crimes de organização criminosa, corrupção ativa, contratação direta ilegal, modificação ou pagamento irregular em contrato e perturbação de processo licitatório.

“Insta destacar que, em todos os casos em que a documentação permitia aferir a fonte de recursos que custeariam os contratos, há menção ao código 146, referente a transferências fundo a fundo de recursos do SUS provenientes do Governo Federal, inclusive, em vários casos tratam-se de recursos federais específicos para o enfrentamento aos  agravos da Covid-19”, diz trecho do documento da PF.

Do total de R$ 45 milhões, R$ 11 milhões foram pagos à Hipermed; R$ 10 milhões à Douglas Castro-ME; R$ 16 milhões à Ultramed e R$ 8 milhões à Smallmed.

Além disso, as investigações constataram que todas as empresas fazem parte do mesmo grupo empresarial - e atuavam no sentido de se "perpetuar" na prestação de serviços na área de saúde em Cuiabá.

Para isso, eram favorecidas pelo núcleo político dentro da Empresa Cuiabana de Saúde Pública e da Secretaria Municipal de Saúde. 

Núcleo político 

Conforme a PF, fazem parte do núcleo político os secretários municipais Célio Rodrigues da Silva (Saúde) e Alexandre Beloto Magalhães de Andrade (interino de Gestão), ambos afastados pela Justiça Federal. 

Além do ex-secretário de Saúde Luiz Antonio Possas de Carvalho, o ex-diretor da Empresa Cuiabana de Saúde Antonio Kato e os servidores Hellen Cristina da Silva, Felipe de Medeiros Costa Franco e Mhayanne Escobar Bueno Beltrão Cabral. 

A operação 

A Operação Curare cumpriu 21 mandados de busca e apreensão em Cuiabá, Curitiba (PR) e Balneário Camboriú (SC). 

Também foram cumpridos medidas cautelares de suspensão de contratos administrativos e de pagamento “indenizatórios”, bem como de suspensão do exercício de função pública. 

 

 


Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet