Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Segunda-feira 17 de Janeiro de 2022

1 5
:
5 5
:
0 1

Últimas Noticias

Notícias / Agronegócio

12 Jan 2022 - 10:50

Extensão no calendário da soja preocupa produtores do MT

Entidades de pesquisa temem a maior incidência de doenças na safra 2022/23

Redação Agência da Notícia com AGROLINK

reprodução

Foto: (Crédito: reprodução)

Foto:

O Mato Grosso, maior produtor nacional de soja, até a safra passada poderia semear a oleaginosa até o dia 31 de dezembro. Em setembro o Ministério da Agricultura editou uma portaria padronizando o calendário de plantio da soja no Brasil, acrescentando estados que, até então, não tinham calendário obrigatório. Com isso os produtores mato-grossenses ganharam mais dias. A semeadura fica autorizada de 16 de setembro a 3 de fevereiro.

O argumento do Mapa é o combate à principal doença da cultura, a Ferrugem Asiática. No entanto, entidades de pesquisa acreditam que pode ocorrer justamente o contrário, e haver um aumento da doença na safra 2022/23 e com reflexos já na safra 2021/22. O tema já foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF) por meio de uma ação protocolada pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), e está aguardando análise da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Nesta semana a Embrapa se manifestou sobre o assunto na ação, conforme pedido do relator. A entidade de pesquisa é contra a extensão do calendário, ressaltando mutações no fungo da ferrugem que podem ampliar a incidência da doença. Isso aconteceria porque a soja poderia ficar até 33 dias a mais na lavoura, ampliando as possibilidades da incidência e diminuindo a eficácia do vazio sanitário.

"Desde 2015 a Embrapa participa... de fóruns de discussão sobre a semeadura de soja em fevereiro no Estado de Mato Grosso. O posicionamento técnico da empresa, assim como da maior parte das entidades, sempre foi contrário à liberação, em razão do grande risco que a extensão da ponte verde", informa a publicação no site da Embrapa.

Outro setor que pretende recorrer ao STF para que derrube o novo calendário é a indústria de defensivos. O presidente executivo da CropLife Brasil, Christian Lohbauer, disse à Reuters que a proliferação da ferrugem asiática, proporcionada pelo plantio até fevereiro, deve causar um problema para a indústria de defensivos no médio e longo prazo, ao reduzir os pesticidas eficazes contra a doença. "Se a ampliação da calendário for mantida, daqui a 3-5 anos não teremos mais produtos para oferecer como alternativas de combate à ferrugem", argumentou.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet