Agência da Notícia

Mato Grosso

Agência da Notícia, Sábado 28 de Maio de 2022

2 2
:
4 6
:
5 4

Últimas Noticias

Enquete

Eleições 2022: Quantos deputados Estaduais e Federais o Araguaia deve eleger? Deixe seu comentário!

Notícias / Agronegócio

24 Jan 2022 - 10:38

Para onde vai o trigo?

A causa desta evolução previsível dos preços é a falta de mercadoria naciona

Da Redação Agência Da Notícia com Agrolínk

Foto: Reprodução / Ilustrativa

 (Crédito: Foto: Reprodução / Ilustrativa)
“O mercado está andando lenta e implacavelmente para a direção apontada”, afirma o analista sênior da TF Agroeconômica, Luiz Pacheco: “Apesar de parecer que o mercado de trigo esteja muito estável no Paraná, ele está andando lenta, mas implacavelmente para a direção apontada desde que começamos a fazer os cálculos sobre a oferta & demanda por estado, no início de dezembro. Na época, apontamos que os R$ 1.600 negociados iriam evoluir para R$ 1.700 em janeiro, R$ 1.750 em fevereiro, R$ 1.800 em março, R$ 1.900 em abril e R$ 2.000 entre maio e julho”.

Por que o mercado patinou? “A demora dos preços em janeiro ocorreu devido a uma oferta ainda relativamente abundante para o mês e à disposição dos moinhos de aproveitarem ao máximo este nível de preços, porque sabiam que, depois, iriam subir muito”, diz o especialista.

“A causa desta evolução previsível dos preços é a falta de mercadoria nacional, que deverá acabar por volta de abril/maio no Paraná e já em março no Rio Grande do Sul. Este será o impulso maior dos preços que, a partir de então, serão regidos pela paridade de importação, mesmo que se trate de trigo local”, explica.

Por outro lado, destaca Pacheco, os moinhos estão fazendo o jogo correto: Tentando manter pressão sobre os preços da matéria-prima, mas aumentando mês a mês, os preços das farinhas. “Há dois motivos para isto: a) os preços das farinhas estavam 15%-20% defasado em relação à forte alta dos preços do trigo; b) é preciso “criar uma escada de preços” para ir adaptando a mente dos compradores aos grandes valores que estão por vir e que, talvez, leve a uma queda na demanda dos sub produtos finais, dependendo do modo como forem apresentados ao mercado consumidor”, conclui.

Comentários no Facebook

Comentários no Site

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião da Agência da Notícia. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agência da Notícia poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.
Comentários com mais de 1300 caracteres serão cortados no limite.

Notícias Relacionadas

 
Sitevip Internet